Ex-presidentes de federações de Chile e Colômbia são excluídos do futebol

sexta-feira, 6 de maio de 2016 10:41 BRT
 

Por Brian Homewood

ZURIQUE (Reuters) - Dois importantes dirigentes de futebol sul-americanos, incluindo um ex-membro do comitê executivo da Fifa, receberam expulsões vitalícias nesta sexta-feira, em mais um desdobramento do escândalo de corrupção em que o esporte está enredado.

O comitê de ética da entidade que administra o futebol mundial disse em comunicado que o ex-presidente da federação de futebol do Chile, Sergio Jadue e o ex-presidente da federação de futebol da Colômbia Luis Bedoya foram considerados culpados de cinco delitos, incluindo suborno, nos termos do código de ética das federações.

Bedoya também integrou o comitê executivo da Fifa, e ambos são ex-vice-presidentes da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).

Bedoya e Jadue já haviam se declarado culpados nos Estados Unidos dos delitos de conspiração para extorquir e conspiração para fraude eletrônica, de acordo com um comunicado do Departamento de Justiça dos EUA divulgado em dezembro.

Eles estão entre as mais de três dúzias de dirigentes, quase todos da América Latina, que foram indiciados nos EUA pelo escândalo de corrupção que mergulhou a Fifa na pior crise de seus 112 anos de existência.

"Suas admissões de culpa se relacionam a dois esquemas por meio dos quais pediram e receberam subornos de empresas de marketing esportivo em relação à concessão de direitos de marketing (para competições)", informou o comitê de ética.

O organismo acrescentou que as competições envolvidas incluem a Copa Libertadores e a Copa América Centenário, que será realizada nos EUA este ano.

Mais de uma dúzia de dirigentes já foram punidos pelo comitê, incluindo alguns dos principais administradores do esporte, desde que ele foi reformado e conquistou mais independência em 2012. Entre os indiciados estão o presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Marco Polo Del Nero, e os ex-presidentes da entidade Ricardo Teixeira e José Maria Marin, este último sob prisão domiciliar nos Estados Unidos.

O ex-presidente da Fifa Joseph Blatter e o ex-presidente da Uefa Michel Platini receberam suspensão de oito anos, mais tarde reduzida para seis pelo comitê de apelações da Fifa, e o ex-secretário-geral Jérôme Valcke foi afastado por 12 anos.

 
Ex-presidente da federação de futebol do Chile Sergio Jadue.    02/12/2014     REUTERS/Jorge Adorno