Itália ajuda a resgatar mais de 2.600 imigrantes do mar em 24 horas

segunda-feira, 23 de maio de 2016 21:06 BRT
 

ROMA (Reuters) - Embarcações italianas ajudaram a resgatar nas últimas 24 horas mais de 2.600 imigrantes que em botes tentavam chegar à Europa vindos do norte da África, disse a guarda-costeira nesta segunda-feira, indicando que os números estão aumentando à medida que o tempo esquenta.

Cerca de 2.000 imigrantes foram resgatados da região da costa da Líbia de 14 botes infláveis e um bote maior, em operações de salvamento pela Marinha e a guarda-costeira italianas, a organização Médicos Sem Fronteiras e um barco da Marinha irlandesa, segundo a guarda-costeira.

Outros 636 imigrantes foram resgatados de dois botes em águas de Malta, em operações envolvendo embarcações do país e da Itália. Não foram dadas informações sobre as nacionalidades dos resgatados.

Mais de 31 mil imigrantes chegaram à Itália de bote até agora neste ano, pouco menos do que no mesmo período em 2015.

Organizações humanitárias dizem que a rota pelo mar entre a Líbia e a Itália é agora a principal para os que buscam asilo na Europa, depois que um acordo entre a União Europeia e a Turquia desacelerou bastante o fluxo de pessoas chegando à Grécia.

Autoridades temem que a quantidade de pessoas que tentam cruzar para o sul italiano aumente à medida que as condições melhoram com o tempo mais quente.

Mais de 1,2 milhão de imigrantes árabes, africanos e asiáticos fugindo da guerra e da pobreza chegaram à União Europeia desde o início do ano passado.

Muitos do que tentam chegar à Itália partem da costa da Líbia em botes infláveis ou barcos de pesca precários e se dirigem para a ilha italiana de Lampedusa, que é perto da Tunísia, ou para a Sicília.

(Reportagem de Gavin Jones)