Alemanha expande centro de monitoramento de lixo espacial para lidar com novas ameaças

quarta-feira, 17 de agosto de 2016 18:40 BRT
 

UEDEM, Alemanha (Reuters) - O espaço sideral está ficando cada vez mais lotado. Milhares de satélites, partes de satélites e peças variadas de lixo espacial estão sendo arremessados ao redor da Terra e podem incluir satélites que poderiam danificar outras espaçonaves.

Para lidar com o problema, a Alemanha está expandindo seu centro de monitoramento espacial, que monitora objetos que voam no espaço - e as novas ameaças que surgem a cada dia.

Os militares alemães montaram o centro em 2009, após a China disparar um míssil que destruiu um de seus satélites antigos. Todos os países que tinham lançado um satélite entenderam que o míssil poderia ter facilmente destruído um dos seus.

"Aquilo foi apenas a ponta do iceberg", disse o oficial sênior Gerald Braun, do Centro Aeroespacial Alemão, entidade civil que se juntou aos militares para administrar o centro de monitoramento em 2011.

O Coronel da Força Aérea Thomas Spangenberg, que lidera o centro de monitoramento, disse que um novo radar experimental, que entrará em operação em 2018, ajudará a Alemanha a manter o controle sobre o que está acontecendo nos vastos alcances do espaço, incluindo o potencial lançamento de satélites de manutenção da órbita.

"Se você não prestar atenção, estes satélites menores podem descolar durante o lançamento (ou mesmo satélites maiores) e ninguém nunca saberá", disse Spangenberg. "Eu acho que isso aconteceu frequentemente no passado".

(Por Andrea Shalal)