Militantes presas planejavam ataque a estação de trem de Paris, diz ministério francês

sexta-feira, 9 de setembro de 2016 09:37 BRT
 

Por Gérard Bon

PARIS (Reuters) - Três mulheres presas por ligação com um carro repleto de cilindros de gás encontrado em uma rua a poucos metros de distância da catedral de Notre Dame planejavam um ataque a uma estação de trem de Paris, informou o Ministério do Interior da França nesta sexta-feira.

"Um alerta foi emitido a todas as estações, mas elas planejavam atacar a Gare de Lyon na quinta-feira", disse um funcionário do ministério depois das prisões, ocorridas de quinta para sexta-feira.

A estação Gare de Lyon se localiza no sudeste da capital francesa, a menos de 3 quilômetros da catedral que marca o centro da cidade.

O funcionário também disse que a mais jovem das três mulheres, que tem 19 anos, cujo pai é proprietário do carro e que a polícia já suspeitava querer ir lutar com o Estado Islâmico na Síria, escreveu uma carta jurando lealdade ao grupo militante islamita.

A descoberta de um Peugeot 607 na noite de sábado passado com sete cilindros de gás, seis deles cheios, desencadeou um inquérito de terrorismo e ressuscitou o medo de novos ataques em um país no qual militantes islâmicos mataram mais de 230 pessoas desde janeiro de 2015.

Dezenas de pessoas religiosas radicalizadas da França e de outras nacionalidades estão lutando para o Estado Islâmico na Síria e no Iraque, e muitas daquelas tiveram envolvimento em ataques recentes na França ou participaram de combates ou pretendiam fazê-lo.

A França é um dos países que estão bombardeando bastiões do grupo radical, que exortou seus apoiadores a realizarem mais atentados em solo francês.

(Reportagem adicional de Marine Pennetier)

 
Policiais fazem operação perto de Paris ligada a carro abandonado.  8/9/2016. REUTERS/Christian Hartmann