Pilotos se preparam para prova mais difícil da Fórmula 1

quinta-feira, 15 de setembro de 2016 15:03 BRT
 

Por John O'Brien

CINGAPURA (Reuters) - Desde sua corrida inaugural em 2008, o Grande Prêmio de Cingapura tem recebido uma reputação por ser o desafio mais duro da Fórmula 1, dando aos pilotos um intenso teste de resistência nas condições mais trapaceiras.

A corrida sob luzes artificiais em um apertado circuito de 23 curvas e 5,065 quilômetros, feita no clima tropical ao norte da linha do Equador, só foi vencida por três homens: Fernando Alonso, Sebastian Vettel e Lewis Hamilton.

O trio de campeões mundiais sugere que somente os melhores podem dominar o circuito de Marina Bay, mas o tetracampeão Vettel acredita que a sorte é tão necessária quanto a habilidade.

"É uma corrida que gosto, mas é sempre muito longa", disse o alemão, que venceu no ano passado.

"Você pode ter sorte ou azar com os safety cars, que não é o que você espera como piloto; você prefere que seja justo", acrescentou Vettel, que também venceu a corrida de 2011 a 2013.

"Se vai a seu favor, então você aproveita isso, e se trabalha contra você, é chato, mas é a natureza dos circuitos de rua", disse a repórteres nesta quinta-feira.

O piloto da Red Bull Daniel Ricciardo, que ficou em segundo, atrás de Vettel no ano passado, espera ir bem no domingo e disse que não há escapatória do calor no assento do piloto e que todos os competidores possuem pouco descanso, por conta da duração da corrida.

"É similar em calor e umidade à Malásia, mas você está cercado pela cidade e muito concreto, então é a única corrida em que sinto que se você abrir o visor para pegar um ar, você não vai conseguir nem um pouco", disse o australiano.

 
Circuito de Marina Bay da Fórmula 1 em Cingapura. 15/9/2016. REUTERS/Edgar Su