Autoridades retiram pessoas de Guantánamo e ilhas no Haiti antes de furacão

domingo, 2 de outubro de 2016 11:04 BRT
 

KINGSTON/PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - Os Estados Unidos se preparam para resgatar por ar centenas de pessoas da base naval de Guantánamo enquanto o mais poderoso furacão formado no Oceano Atlântico desde o Félix, em 2007, avança sobre Jamaica, Haiti e Cuba.

O Haiti também começou a retirar por barco moradores de ilhas devido à chegada do furacão Matthew, que ameaça causar grandes danos, com ventos que chegam a 240 quilômetros por hora.

O Matthew deve chegar à costa sul da Jamaica, onde fica a capital Kingston e uma refinaria de petróleo, como uma grande tempestade. O tempo começa a virar neste domingo.

Simultaneamente, a tempestade deve chegar ao sul do Haiti, causando possivelmente 101 centímetros de chuvas, contra 64 centímetros na Jamaica. É possível que haja perigosos deslizamentos de terra e enchentes, de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos EUA.

O porta-voz do Ministério do Interior do Haiti, Albert Moulion, afirmou que as autoridades iniciaram a retirada voluntária de moradores de pequenas ilhas no sul do país.

No início da terça-feira, o furacão Matthew deve chegar ao leste de Cuba, com um caminho que deve atingir a cidade histórica de Santiago de Cuba e a província de Guantánamo, onde os EUA operam uma base naval e prisão militar.

A Marinha norte-americana disse que aproximadamente 700 mulheres e crianças foram levadas para a Flórida.

"Os militares e civis restantes serão abrigados e poderão ajudar os processos de recuperação uma vez que estejam em segurança após a passagem da tempestade", afirmou a Marinha em comunicado.

(Por Rebekah Kebede e Makini Brice)