Britânicos ganham Nobel de Física por trabalho sobre matéria exótica explicado com pães

terça-feira, 4 de outubro de 2016 12:05 BRT
 

Por Niklas Pollard e Ben Hirschler

ESTOCOLMO/LONDRES (Reuters) - Três cientistas nascidos no Reino Unido conquistaram o prêmio Nobel de Física de 2016 nesta terça-feira por revelarem estados incomuns da matéria, o que irá levar a avanços na eletrônica e terá o potencial de ajudar trabalhos em futuros computadores quânticos.

David Thouless, Duncan Haldane e Michael Kosterlitz, que hoje atuam em universidades dos Estados Unidos, compartilharam o prêmio por suas descobertas sobre mudanças abruptas das propriedades, ou fases, de materiais ultrafinos.

Sua pesquisa está centrada na topologia, um ramo da matemática que envolve alterações escalonadas, como fazer uma série de furos em um objeto.

O conceito, difícil de entender, foi ilustrado por um membro do Comitê do Nobel, Thors Hans Hansson, em uma coletiva de imprensa usando um pão de canela, um bagel e um pretzel.

As fases são óbvias quando a matéria vai do estado sólido para o líquido e para o gasoso, mas os materiais também podem sofrer alterações escalonadas topológicas que afetam suas propriedades elétricas. Um exemplo é um supercondutor, que em temperaturas baixas conduz eletricidade sem resistência.

"Graças ao seu trabalho pioneiro, começou a busca por fases da matéria novas e exóticas", disse a Real Academia de Ciências da Suécia ao conceder o prêmio de 937 mil dólares.

"Muitas pessoas estão esperançosas com as aplicações futuras tanto na ciência de materiais quanto na eletrônica".

Thouless recebeu metade do valor, e a outra metade foi dividida entre Haldane e Kosterlitz.   Continuação...

 
Imagem com fotos e nomes dos vencedores do Nobel de Física visto durante conferência em Estocolmo.     04/10/2016         TT News Agency/Anders Wiklund/via REUTERS