Em rara disputa, barcos chineses são detidos na Coreia do Norte

quinta-feira, 17 de maio de 2012 09:00 BRT
 

PEQUIM, 17 Mai (Reuters) - Autoridades norte-coreanas exigiram pagamento para libertar barcos de pesca chineses com um total de 29 homens a bordo, informou a mídia chinesa nesta quinta-feira, em uma rara disputa pública entre os países vizinhos e aliados de longa data.

Os proprietários chineses dos barcos disseram que foram detidos por um navio-patrulha norte-coreano em 8 de maio no Mar Amarelo, entre a China e a Coreia do Norte, noticiou o jornal Beijing News.

Segundo os donos dos pesqueiros, suas embarcações estavam pescando em águas chinesas. A Coreia do Norte não fez comentários públicos sobre o caso.

Os norte-coreanos inicialmente exigiram o pagamento de 1,2 milhão de iuanes (189.800 dólares) para liberar os barcos e marinheiros. Depois, abaixaram o valor para 900.000 iuanes e fixaram o prazo até quinta-feira, disse Zhang Dechang, proprietário de um dos barcos capturados, ao jornal, que chamou o pedido de "resgate".

Os 29 marinheiros que estavam a bordo estão agora na Coreia do Norte, disse um dos marinheiros capturados em uma ligação para o proprietário do barco, acrescentou o jornal.

O governo chinês não confirmou publicamente quaisquer detalhes sobre o incidente relatado.

"A China está mantendo contato estreito com a Coreia do Norte através dos canais competentes, e esperamos que esse problema seja resolvido de forma adequada o mais rapidamente possível", afirmou o porta-voz do Ministério dos Relações Exteriores chinês Hong Lei em uma coletiva de imprensa de rotina.

Não ficou claro se a apreensão dos barcos foi autorizada pelo governo central norte-coreano, ou se foi iniciativa e autoridades regionais.

(Reportagem de Sally Huang e Chris Buckley)