Governo adota medidas de estímulo em pacote de R$2,7 bi

segunda-feira, 21 de maio de 2012 20:13 BRT
 

Por Luciana Otoni e Tiago Pariz

BRASÍLIA, 21 Mai (Reuters) - Com o objetivo de garantir mais estímulo à economia brasileira, o governo anunciou nesta segunda-feira medidas para incentivar os setores automotivo e de bens de capital, além do consumo em geral.

A renúncia fiscal é estimada em 2,1 bilhões de reais até agosto, além de um dispêndio de 619 milhões de reais pelo governo para subsidiar juros menores do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O pacote também prevê acordo com os bancos, na redução de juros e aumentos nos prazos de financiamento, e com as montadoras, que prometeram reduzir temporariamente os preços dos veículos.

Entre outros, foram anunciadas reduções das alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos e juros menores em linhas do BNDES voltadas a bens de capital.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou ainda a redução da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 2,5 para 1,5 por cento nas operações de crédito voltadas a pessoas físicas.

Haverá também reduções nos compulsórios bancários, que serão explicadas pelo Banco Central ainda nesta noite.

Segundo Mantega, a crise internacional tem segurado uma expansão mais robusta da economia brasileira e, por isso, o governo precisa agir.

"Exige esforços redobrados para manter a taxa de crescimento", afirmou ele, acrescentando que o país não crescerá 4,5 por cento neste ano, como previsto antes. "Mas vamos crescer mais do que em 2011 (quando a expansão foi de 2,7 por cento)", emendou.   Continuação...

 
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, fala durante uma coletiva de imprensa em Brasília, 1º de março de 2012. REUTERS/Ueslei Marcelino