ANÁLISE-Após recordes de vendas, mercado de veículos engasga

sexta-feira, 25 de maio de 2012 15:44 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO (Reuters) - Estoques elevados de veículos novos esperando comprador no Brasil marcam uma nova realidade de um setor que desde 2007 vem registrando recordes sucessivos de vendas.

A restrição do crédito em 2012 após salto nos calotes de financiamentos e as incertezas sobre a economia estão levando consumidores a postergarem suas decisões de compra de automóveis.

A disparada das vendas dos últimos cinco anos, que passaram do patamar de 2 milhões de veículos por ano para perto de 4 milhões previstos para 2012, reduziu o potencial de crescimento acelerado da indústria e trouxe à tona risco da inadimplência em um setor que tem 60 por cento de suas vendas feitas à prazo.

"Boa parte de quem podia comprar carro já comprou, e talvez até quem não podia já comprou também", disse o economista Francisco Pessoa, da consultoria LCA. "Muita gente não está conseguindo arcar com os custos da posse e manutenção de um carro."

Segundo ele, enquanto em 2000 o país tinha 8,8 habitantes por veículo, a relação passou a 6,4 em 2009 e a 5,6 em 2011, uma evolução de 58 por cento.

"Talvez com um novo movimento de renovação de frota, ainda que nossa frota seja bem nova, essa relação possa cair mais", disse Pessoa.

Enquanto isso não ocorre, o governo voltou a atender queixas da indústria automotiva nacional, anunciando nesta semana pacote de medidas de estímulo que incluíram Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido nos carros de até 1.000 cilindradas de 7 por cento para zero, até o final de agosto.

Além disso, o governo decidiu liberar compulsório de bancos para financiamento de carros e veículos leves.   Continuação...