Oil World vê safra de soja argentina menor

terça-feira, 29 de maio de 2012 15:07 BRT
 

HAMBURGO, 29 Mai (Reuters) - A safra de soja da Argentina em 2012 pode cair para entre 39 e 40 milhões de toneladas, ante 49,2 milhões de toneladas em 2011, enquanto o clima seco e inundações recentes continuam forçando produtores a abandonarem suas lavouras de soja, disseram analistas da Oil World, baseados em Hamburgo, nesta terça-feira.

"A safra de soja argentina continua com problemas, com o abandono da área superando as expectativas, como resultado de uma severa seca nos Estados do Norte, bem como inundações em partes da província de Buenos Aires", disse a consultoria alemã.

"É possível que a safra de soja caia para apenas 39-40 milhões de toneladas comparado com nossa estimativa atual de 40,5 milhões de toneladas, e as 49,2 milhões de toneladas do ano anterior."

A Argentina é o terceiro maior produtor de soja do mundo, depois dos Estados Unidos e do Brasil. Estimativas para a produção de soja da América do Sul continuam encolhendo, enquanto produtores colhem o resto da safra do hemisfério sul, fator que tem reduzido as projeções para os estoques globais e dado suporte aos preços.

A seca seguida de inundações em área produtoras da Argentina estimularam a bolsa de Buenos Aires em 24 de maio a reduzirem sua previsão para a safra de soja do país em 2011/12 para 39,9 milhões de toneladas, contra as 41 milhões de toneladas estimadas anteriormente. O Brasil também sofreu uma baixa na safra de soja.

"O fracasso da safra de soja deste ano na América do Sul tem pesado sobre as já apertadas ofertas de óleo de soja desta temporada", disse a Oil World.

A produção global de óleo de soja da temporada 2011/12 deve subir apenas 300 mil toneladas no ano, para 41,7 milhões de toneladas, após um crescimento de 2,5 milhões de toneladas em 2010/11, estimou.

"Esperamos que o consumo global de óleo de soja supere a produção entre 500 mil e 600 mil toneladas nesta temporada, representando um desequilíbrio que pode persistir apenas temporariamente."

Isso resultará em uma "redução pronunciada" nos estoques globais de óleo de soja para 3,8 milhões de toneladas ao final da temporada 2011/12, contra 4,4 milhões de toneladas no ano anterior, disse.

(Reportagem de Michael Hogan)