SAIBA MAIS-ONU avalia saúde do planeta e prognóstico não é bom

quarta-feira, 6 de junho de 2012 12:38 BRT
 

LONDRES/CINGAPURA, 6 Jun (Reuters) - Nas últimas duas décadas os sinais vitais da Terra continuaram a se deteriorar, desde o desmatamento das florestas, a pesca excessiva, a poluição do ar e da água até o clima caótico e as crescentes emissões de gases causadores de efeito estufa, segundo um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU).

O relatório Panorama Ambiental Global 5 (GEO-5), divulgado nesta quarta-feira, constatou que das 90 metas e objetivos ambientais de referência, só houve progresso significativo em quatro.

Mas o relatório afirmou que há esperança e ainda é possível obter crescimento econômico favorável ao meio ambiente, apesar dos desafios da população humana crescente, expansão da urbanização e o apetite insaciável por alimentos e recursos.

A seguir estão algumas das principais conclusões do relatório GEO-5, o quinto levantamento da saúde ambiental global feita pela ONU desde 1997, e compilada por mais de 600 especialistas.

RIO

A divulgação do relatório acontece duas semanas antes da maior cúpula do mundo sobre o meio ambiente em anos, no Rio de Janeiro, e 20 anos após o importante encontro do Rio em que três tratados ambientais da ONU foram adotados, incluindo o Protocolo de Kyoto.

METAS VERDES

O relatório GEO-5 disse que foi feito progresso significativo para eliminar a produção e utilização de produtos químicos que destroem a camada de ozônio, remoção do chumbo dos combustíveis, aumento do acesso a fontes melhoradas de água e mais pesquisas para reduzir a poluição do ambiente marinho.

A redução dos riscos de saúde alcançada pela eliminação progressiva dos combustíveis à base de chumbo tem benefícios econômicos estimados em 2,45 trilhões por ano, ou aproximadamente 4 por cento do PIB global.   Continuação...