Autoridades turcas e sírias procuram avião abatido na costa

sábado, 23 de junho de 2012 11:22 BRT
 

ANCARA/BEIRUTE - 23 Jun (REUTERS) - A Turquia e a Síria realizam buscas conjuntas a um avião turco abatido pela Síria sobre o Mar Mediterrâneo, enquanto perto dali autoridades autoridades turcas dão abrigo a milhares de rebeldes que lutam contra o presidente sírio, Bashar al-Assad.

Sinais de ambos os lados sugeriram que nenhum dos países admite um confronto militar em decorrência do abatimento do caça perto da fronteira marítima entre as duas nações. Contudo, a operação conjunta de buscas claramente é desconfortável entre as duas forças armadas, devido às hostilidades entre os países, que antes eram aliados, mas se dividiram devido aos 16 meses de repressão de Assad aos seus oposicionistas.

A Turquia prometeu responder severamente ao ocorrido. Neste sábado, o primeiro-ministro turco convocou uma reunião de seu conselho para discutir o tema, segundo uma TV local.

"É impossível ocultar algo assim. O que for necessário certamente será feito", afirmou a repórteres o presidente turco, Abdullah Gul, acrescentando que Ancara está em contato telefônico com autoridades sírias.

O incidente, quaisquer que sejam suas causas, demonstrou a formidável defesa antiaérea síria, fornecida pela Rússia. Esse é um dos motivos pelos quais o Ocidente reluta em iniciar qualquer intervenção militar para interromper o conflito no país.

O vice-primeiro-ministro turco, Bulent Arinc, afirmou que o avião abatido não era uma aeronave de guerra, mas sim de reconhecimento, informou a emissora de televisão estatal TRT. A imprensa turca identificou anteriormente o avião como um F-4 Phantom, um caça também usado em missões de reconhecimento.

Gul afirmou que é operação de rotina que caças cruzem a fronteira em uma curta distância e que uma investigação vai determinar se a aeronave foi derrubada dentro do espaço aéreo turco.

Os militares sírios afirmaram que o avião turco estava voando em baixa altitude e a apenas um quilômetro da costa síria quando foi derrubado. A aeronave primeiro foi classificada como não identificada e, depois, como de origem turca.

"As marinhas dos dois países fizeram contato. Navios sírios estão participando com os turcos das operações de buscas aos pilotos", afirmaram os militares sírios.

Com o segundo maior Exército da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), uma força militar que cresceu pelos quase 30 anos de conflitos com rebeldes curdos, a Turquia seria um grande rival militar para o Exército sírio, que já sente dificuldades no combate às revoltas populares.

(Reportagem de Jonathon Burch e Erika Solomon)