Índices dos EUA avançam por dados imobiliários e petróleo

quarta-feira, 27 de junho de 2012 18:05 BRT
 

Por Chuck Mikolajczak

NOVA YORK, 27 Jun (Reuters) - Os principais índices acionários dos Estados Unidos fecharam em alta nesta quarta-feira, com dados econômicos positivos ajudando a elevar os preços do petróleo e de ações do setor energético, compensando temores de que a cúpula de líderes europeus que será realizada a partir da quinta-feira não conseguirá alcançar progresso significativo.

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, avançou 0,74 por cento, para 12.627 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 0,90 por cento, para 1.331 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 0,74 por cento, para 2.875 pontos.

O setor energético registrou os maiores ganhos entre os 10 principais grupos do S&P 500, avançando 1,9 por cento, enquanto os preços do petróleo fecharam em alta, a 80,21 dólares o barril. O papel da Cabot Oil & Gas disparou 9 por cento, para 41,24 dólares, e teve a melhor performance entre as ações incluidas no S&P 500.

Preocupações com a Europa alimentaram ondas de liquidações recentemente, mas os declínios foram contidos por compras no curto-prazo suficientes para impedir que o mercado despenque.

Esse sentimento foi auxiliado por vendas em número melhor do que o previsto de bens duráveis nos EUA em maio, embora, exceto no caso de itens de transporte e defesa, o número de encomendas tenha recuado.

Além disso, o número de assinaturas de contratos relativos a vendas de domicílios avançou a seu maior nível em sete meses. O índice PHLX, que acompanha o mercado imobiliário, cresceu 3 por cento, acumulando ganhos de quase 26 por cento no ano.

A ação da Lennar, terceira maior fabricante de casas dos EUA, teve valorização de 4,8 por cento, para 28,70 dólares, após a empresa registrar um aumento em novos pedidos pelo quinto trimestre seguido.

"O sentimento é bastante negativo. Quando as pessoas ficam deprimidas a esse nível, os mercados têm uma tendência de rebater, e isso é o que está acontecendo agora", disse o diretor de ações do Kayne Anderson Rudnick Investment Management, Doug Foreman.