Novo Renault Clio coloca pressão sobre Fiat

segunda-feira, 9 de julho de 2012 13:31 BRT
 

Por Laurence Frost e Jennifer Clark

PARIS/MILÃO, 9 Jul (Reuters) - Os chefes da Fiat podem até se sentir lisonjeados com o novo Clio da rival Renault, que só falta gritar "viva a Itália", mas, com nada parecido para se igualar a modelo da rival francesa, os italianos não estão em posição de se sentirem bem.

A nova versão do carro mais bem vendido da Renault, com suas maçanetas escondidas, interior de duas tonalidades e visual rebaixado, é uma homenagem ao estilo italiano. E isso significa mais problemas para a Fiat, que não terá um novo Punto por pelo menos mais dois anos.

O Clio reformulado, que pode ser visto em vermelho ou amarelo no website da Renault, desafiará os modelos Punto e 500 da Fiat quando concessionárias na França e na Itália começar a receber encomendas pelo modelo na próxima semana, que se juntará com uma versão atualizado do Polo, da Volkswagen, e o novo Peugeot 208.

"Todos os principais concorrentes do Punto tiveram atualizações, mas a Fiat está ficando mais atrás", disse Philippe Barrier, analista do setor automotivo do Société Générale, que notou que o novo Renault é "muito fluido, um pouco italiano, com uma parte dianteira mais agressiva".

A quarta geração do Clio -um "falso cupê" de cinco portas que parece um esportivo de três portas- é o primeiro design completo do novo chefe de estilo Laurens van den Acker, contratado da Mazda há três anos para dar mais apelo à marca Renault.

O carro, montado na França e na Turquia, será vendido próximo ao mesmo preço do último modelo de cinco portas, a 14.550 euros na França. A Renault vendeu 302 mil Clios anteriores na Europa no ano passado, enquanto a Fiat vendeu 210 mil puntos e 157 mil Fiat 500s.

 
Novo Clio, da Renault, é exibido na sede da montadora em Boulogne Billancourt, próximo a Paris. Os chefes da Fiat podem até se sentir lisonjeados com o novo Clio da rival Renault, que só falta gritar "viva a Itália", mas, com nada parecido para se igualar a modelo da rival francesa, os italianos não estão em posição de se sentirem bem. 09/07/2012 REUTERS/Jacky Naegelen