Custo de bateria de veículo elétrico pode cair 70% até 2025

quarta-feira, 11 de julho de 2012 14:54 BRT
 

(Reuters) - O custo das baterias de íon de lítio usadas em veículos elétricos pode cair em mais de 70 por cento até 2025, enquanto a alta do preço do petróleo e os padrões rigorosos de economia de combustível incentivam montadoras a fabricarem mais carros com a tecnologia, de acordo com um estudo divulgado nesta quarta-feira.

A fabricação dessas baterias em uma escala maior representa um terço da potencial redução de preço até 2025, afirma a empresa de pesquisa de mercado McKinsey no estudo. A esperada entrada de companhias no setor e a tecnologia nova herdada de fabricantes de produtos eletrônicos como Apple também podem ajudar a reduzir o custo das baterias de íon de lítio, acrescentou a consultoria.

"Baterias mais baratas podem proporcionar uma maior adoção de veículos elétricos, o que potencialmente afetará os setores de transporte, energia e petróleo", declarou a McKinsey.

A consultoria previu que o preço de um conjunto completo de bateria de íon de lítio cairá de 500 a 600 dólares por quilowatt/hora para 200 dólares em 2020 e 160 dólares até 2025.

Se o preço da gasolina ficar em torno de 3,50 dólares por galão (3,8 litros), ou acima disso, montadoras que compram baterias por 250 dólares por quilowatt/hora poderão oferecer veículos elétricos que poderão competir com carros e caminhões que usam motores modernos de combustão interna, que já são agora significativamente mais baratos.

O custo das baterias é um dos maiores empecilhos para uma maior adoção de veículos de baixa emissão, segundo analistas. O Departamento de Energia dos Estados Unidos estabeleceu a meta de reduzir o custo do pacote de bateria para 300 dólares por quilowatt/hora até 2014.

O conjunto de bateria de 23 quilowatts/hora usado no Focus Electric, primeiro carro elétrico da Ford, pode custar entre 12 mil e 15 mil dólares, afirmou o presidente-executivo da montadora, Alan Mulally, em uma conferência em abril. Isso sugere que a Ford paga até 652 dólares por quilowatt/hora.

Volumes maiores de produção é o principal fator na queda dos preços das baterias, afirmam os consultores da McKinsey. Os preços também podem cair se os fabricantes de baterias aprimorarem seus processos de manufatura e usarem equipamentos padronizados.

Os custos das baterias também podem cair conforme a indústria de bens eletrônicos de consumo continuam a fazer avanços no aumento da carga e da potência das baterias de íon de lítio, segundo o estudo.

Ao longo do tempo, essas melhorias serão aproveitadas na indústria automotiva, afirma o consultor John Newman, da McKinsey, que também é autor da pesquisa. As baterias no setor de produtos eletrônicos de consumo são disponíveis hoje em dia por cerca de 300 dólares o quilowatt/hora.

"É a indústria de eletrônicos de consumo que está empurrando os custos para baixo", afirmou Newman.