ANÁLISE-Venezuela se une a um Mercosul reduzido a fórum político

segunda-feira, 30 de julho de 2012 21:38 BRT
 

Por Guido Nejamkis

BUENOS AIRES, 30 Jul (Reuters) - A Venezuela entrará nesta semana com pompa em um Mercosul que ficou reduzido a um fórum político por suas disputas comerciais internas.

Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai criaram o Mercosul em 1995 para permitir que o comércio fluísse entre suas fronteiras e atraísse investimentos em escala semelhante à da União Europeia e o Tratado de Livre Comércio da América do Norte.

Quase duas décadas depois, o bloco está debilitado pelas brigas comerciais entre seus principais membros, que tentam blindar sua balança comercial da crise financeira global com medidas protecionistas.

Críticos garantem que o Mercosul se reduziu a um espaço político entre líderes de centro-esquerda de onde o Brasil constrói sua crescente influência regional e global, enquanto para os membros menores é útil como espaço de diálogo com seus vizinhos.

Segundo analistas, a recente decisão do bloco de permitir a entrada da Venezuela, um dos maiores exportadores de petróleo do mundo, segue a lógica de reforçar seu poder de influência.

A Argentina restringiu nos últimos meses a entrada de produtos brasileiros para proteger o superávit comercial com que financia a sua economia, isolada do mundo pelas políticas econômicas intervencionistas da presidente Cristina Kirchner.

O Brasil reagiu e freou o ingresso de produtos frescos.

A norte-americana McCain, por exemplo, teve de suspender no fim de junho centenas de funcionários em Buenos Aires porque não podia fornecer batata frita às lojas do McDonald's e do Burger King no Brasil. A companhia se estabeleceu na Argentina em 1995 mirando o mercado brasileiro.   Continuação...