Exportações de veículos da Argentina recuam por Brasil

quarta-feira, 1 de agosto de 2012 15:11 BRT
 

Por Magdalena Morales

BUENOS AIRES, 1 Ago (Reuters) - As exportações de veículos da Argentina neste ano vão registrar a maior queda em uma década em termos percentuais, aprofundando a desaceleração econômica do país, apesar da esperada recuperação na demanda brasileira nos próximos meses.

As exportações para o Brasil representam cerca de metade da produção automotiva da Argentina e vinham sendo um importante motor do crescimento da produção industrial do país durante a maior parte dos últimos nove anos.

Porém, a demanda brasileira encolheu com a desaceleração da economia e as perspectivas de desempenho melhor no restante do ano não serão suficientes para conter as perdas de produção e vendas de 2012 como um todo, disseram analistas e fontes da indústria.

"Estamos prevendo uma queda anual de 17 por cento na indústria automotiva, que caiu 15 por cento no primeiro semestre", disse Inaki Alvarez, analista econômico da consultoria Estudio Bein & Asociados.

Essa queda vai eliminar 0,6 ponto percentual do crescimento econômico da Argentina neste ano, previsto pela Bein & Asociados como sendo de 2 por cento, ante alta de 8,9 por cento em 2011.

Outros analistas do setor privado afirmam que a economia da Argentina vai crescer ainda menos ou encolher este ano, atingida pela queda na demanda externa, inflação alta, safra de grãos reduzida e cortes de importações. Eles afirmam ainda que o contestado dado oficial de crescimento não vai refletir totalmente a desaceleração.

No primeiro semestre, as exportações de veículos da Argentina despencaram 28 por cento em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da associação de montadoras Adefa.

Mas com a queda nos estoques de veículos no Brasil a demanda deve melhorar. Fontes na unidade argentina da Renault, que teve de dispensar funcionários este ano por causa de demanda reduzida, e na PSA Peugeot Citroen na Argentina confirmaram isso.

Cerca de 80 por cento das vendas de veículos da Argentina ao exterior vão para o Brasil. O México era um outro grande comprador regional, mas representou apenas 2,5 por cento das exportações argentinas no primeiro semestre deste ano e Buenos Aires decidiu abandonar um acordo automotivo com o país em junho.

A empresa de consultoria Abeceb, da Argentina, previu que as exportações de veículos do país vão afundar 23 por cento em 2012, marcando o maior declínio desde 2002, quando as vendas externas recuaram 30 por cento em meio à crise econômica que atingia o país.