Marin não cogita tropeços do Brasil contra África do Sul e China

quinta-feira, 30 de agosto de 2012 19:04 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 30 Ago (Reuters) - Depois do fracasso do Brasil na busca pelo inédito ouro olímpico em Londres, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, não cogita a possibilidade de a seleção tropeçar nos próximos amistosos, diante de África do Sul e China.

"Não acredito em empate e acho que vamos ganhar os dois jogos. A equipe está bem, como vimos na Suécia e até com a Argentina, antes dos Jogos, fizemos o nosso melhor jogo mesmo com a derrota", declarou ele nesta quinta-feira sobre a derrota de 4 x 3, em junho.

A seleção venceu a Suécia por 3 x 0 no último dia 15, quatro dias depois da derrota para o México na decisão da Olimpíada de Londres. Os próximos jogos serão contra os sul-africanos, em 7 de setembro, em São Paulo, e diante dos chineses, dia 10, no Recife.

Ao ser questionado se tropeços poderiam fragilizar o técnico Mano Menezes, Marin disse que "por enquanto está tudo calmo na seleção".

"Vamos ter a maior serenidade.... a situação do Mano é estável", destacou.

O dirigente acrescentou que o Brasil conseguiu sob o comando de Mano Menezes montar uma base para a Copa do Mundo de 2014.

"Temos uma equipe e os que vieram se agregar eram aqueles esperados por vocês da imprensa como Ramires, o Paulinho também", disse. "Estamos no caminho certo, mas como em qualquer equipe precisamos ter conjunto para melhorar mais."

Marin confirmou que continua acompanhando de perto as listas de convocação do técnico brasileiro. Antes da convocação para os amistosos com China e África do Sul, ambos tomaram café para falar dos nomes.

"Acho que não faltou nenhum nome. Foi uma boa convocação e vocês não sabiam: antes quem falava com o Mano era o Andrés Sanchez (diretor de seleções), que estava no Japão", revelou.   Continuação...

 
Presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, reage durante coletiva de imprensa no Rio de Janeiro. Depois do fracasso do Brasil na busca pelo inédito ouro olímpico em Londres, Marin não cogita a possibilidade de a seleção tropeçar nos próximos amistosos, diante de África do Sul e China. 30/08/2012 REUTERS/Sergio Moraes