Volkswagen aposta em novo Golf para superar Toyota e GM

segunda-feira, 3 de setembro de 2012 12:37 BRT
 

BERLIM, 3 Set (Reuters) - A Volkswagen está apostando que um toque de requinte no Golf manterá o carro esportivo compacto um sucesso de vendas e ajudará a montadora alemã a superar Toyota e General Motors como líderes mundiais de vendas de automóveis.

No entanto, veículos de médio porte sofrem o impacto da concorrência tanto de carros mais baratos quanto de modelos de luxo, já que as montadoras estão penando em muitos países com a economia em queda na Europa e em desaceleração na China.

A Volkswagen vem reportando vendas recordes e lucros maiores, enquanto concorrentes vêm apresentando dificuldades. No entanto, a sétima geração do Golf, cuja apresentação será na terça-feira em Berlim, talvez não seja o suficiente para manter a maior montadora da Europa em tal posição vantajosa, segundo analistas.

"As metas de crescimento da Volkswagen são absolutamente dependentes do sucesso do novo Golf, mas a nova versão competirá em um mercado difícil", disse o diretor do Centro de Gestão Automotiva, Stefan Bratzel, um centro de criação perto da cidade alemã de Colônia.

A Volkswagen está a caminho de superar neste ano a GM no ranking de maiores montadoras do mundo. O plano da montadora alemã é vender 10 milhões de veículos por ano até 2018, recorde mundial acima dos 8,36 milhões em 2011, e passar na frente também da Toyota.

O novo Golf terá uma série de atrativos para tentar deixar os consumidores longe dos modelos mais baratos de Hyundai, Skoda e Seat, de fabricantes do mercado de massa como Peugeot Citroen e Opel --divisão da GM-- e marcas de ponta como Audi e BMW.

O novo Golf terá um design mais elegante e 100 quilos a menos em relação ao modelo anterior por conta da maior presença de aço ultrarresistente, que o torna mais barato e menos poluente.

A versão a gasolina e de 140 cavalos emitirá uma média de 112 gramas de gás carbônico por quilômetro, o que atende às normas da União Europeia.

O modelo novo terá comprimento e largura levemente maiores que o anterior, deixando o interior do carro em melhor condição para concorrer com o de utilitários e mini-vans.

(Por Andreas Cremer)