Milho do leste da Europa sofre pouco impacto da seca--analista

quarta-feira, 5 de setembro de 2012 12:10 BRT
 

Por Pavel Polityuk

KIEV, 5 Set (Reuters) - As safras de milho do leste europeu sobreviveram a um seco verão no hemisfério norte com a produção sendo pouco alterada em relação ao ano anterior, mas os exportadores não devem se beneficiar, enquanto compradores domésticos buscam alternativas para o trigo e a cevada, safras destruídas pelo calor.

Produtores de milho na região do Mar Negro --como Ucrânia, Rússia, Bulgária e Romênia-- devem produzir um total de 37 milhões de toneladas da commodity este ano, contra as 39,7 milhões de toneladas em 2011, disse a consultoria UkrAgroConsult.

Apenas a Hungria estima uma forte queda na produção.

A analista Elizaveta Malyshko, da UkrAgroConsult, projetou um aumento no consumo doméstico de milho nesta temporada, pois o grão poderá substituir o trigo para ração, cujo produção caiu drasticamente este ano, em meio às altas temperaturas.

A consultoria prevê que as exportações de milho da Ucrânia não devem passar de 12,5 milhões de toneladas nesta temporada, contra 15 milhões de toneladas em 2011/12.

Andrei Sizov Jr., diretor gerente da consultoria russa SovEcon, disse esperar que a colheita de milho 2012 da Rússia seja de 6,8 milhões de toneladas, abaixo das 7 milhões do ano passado. Em 2010, a Rússia colheu 3,1 milhões de toneladas de milho.

A Rússia poderá exportar entre 1,5 milhão e 1,8 milhão de toneladas de milho durante a temporada 2012/13, que começa em outubro, ante o volume esperado para ser exportado em 2011/12, de 1,9 milhão de toneladas.

O clima quente e seco em alguns países da União Europeia afetou severamente as perspectivas para a colheita de milho deste ano na União Europeia, pressionando ainda mais o mercado global, já influenciado por conta da forte seca que prejudicou as safras nos Estados Unidos.   Continuação...