Brasil considera aumentar importação de automóveis do México

quarta-feira, 19 de setembro de 2012 22:32 BRT
 

Por Ana Isabel Martinez

CIDADE DO MÉXICO, 19 Set (Reuters) - O Brasil estaria interessado em elevar em 350 milhões de dólares anuais a cota de importação de veículos sob o acordo automotivo que mantém com o México e que foi renegociado em março para limitar suas crescentes compras junto a seu parceiro.

A decisão responderia à pressão de algumas montadoras brasileiras que em apenas seis meses superaram ou estão prestes a exceder a cota de importação livre de impostos para o primeiro ano, que vai de março passado a abril de 2013. Isto ocasiona a elas custos adicionais consideráveis.

As duas maiores economias da América Latina concordaram em março em renegociar temporariamente alguns termos do Acordo de Complementação Econômica 55 (ACE-55), depois que o Brasil acusou um déficit no comércio bilateral e ameaçou abandonar o pacto que por muito tempo lhe favoreceu.

Uma fonte do governo mexicano disse à Reuters que não houve uma "formalização do provável pedido, mas nós entendemos que eles têm um interesse em elevar a taxa, embora ainda não tenha ocorrido nenhum contato oficial".

"Entendemos que seria de cerca de 350 milhões de dólares", declarou a fonte, comentando que há duas semanas foi acertada uma reunião entre representantes dos dois governos para discutir a questão na capital mexicana, mas o encontro foi abruptamente cancelado porque "aparentemente os brasileiros ainda ajustariam suas cifras".

Uma autoridade brasileira, que pediu anonimato, disse que a faixa poderia estar entre 300 e 500 milhões de dólares.

A ampliação da cota, que a fonte descreveu como um ato de "boa vontade política", aconteceria num momento em que o Brasil procura seduzir gigantes automotivas a se instalarem em seu território.

No entanto, uma outra fonte do governo brasileiro que foi consultada sobre uma possível extensão da cota, afirmou que "neste momento não há negociações".   Continuação...