ArcelorMittal fecha dois altos-fornos de fábrica na França

segunda-feira, 1 de outubro de 2012 09:47 BRT
 

FLORANGE, França, 1 Out (Reuters) - A ArcelorMittal avisou a sindicatos nesta segunda-feira que fechará de vez dois altos-fornos no nordeste da França, revoltando os trabalhores que bloquearam o acesso à fábrica de aço.

A decisão é um revés para o governo socialista, que na semana passada tinha mandado a siderúrgica retomar a operação dos altos-fornos ou vendê-los. Os fornos empregavam 600 de 2,7 mil trabalhadores de uma fábrica que agora é símbolo do declínio industrial da França.

Trabalhadores da fábrica de Florange, perto da fronteira com a Alemanha, choraram e se abraçaram quando a direção anunciou a decisão aos líderes sindicais nos arredores de Paris.

Alguns empregados acederam uma fogueira e armaram uma barraca para passar a noite na fábrica. Eles soldaram a porta dos escritórios e bloquearam o acesso a toda a unidade.

"Durante 14 meses nos disseram que o fechamento era temporário. É revoltante", disse o sindicalista Edouard Martin na fábrica. "Precisamos que o governo lute ao nosso lado e faça o possível para deter essa estratégia da ArcelorMittal", acrescentou.

O fechamento dos altos-fornos afetará cerca de 629 empregos, mas a ArcelorMittal tentará transferir os funcionários, segundo comunicado da companhia. Os altos-fornos já tinham sido desligados em julho e outubro de 2011 diante da falta de demanda.

O presidente-executivo Lakshmi Mittal tinha autorizado procurar um comprador e dado à França dois meses para o fazer, mas a decisão decorre da fraca demanda, em grande parte devido ao estagnado setor automotivo, que não deve se recuperar tão cedo.

Fontes do setor disseram que os dois altos-fornos não são viáveis em tempos de baixa demanda, tendo em vista que são pequenos e ficam longe da costa, o que encarece o transporte de matéria-prima.

Apesar de o restante da fábrica de Florence estar operacional, o presidente François Hollande tinha visitado os dois altos-fornos durante a companhia eleitoral dele neste ano. (Por Robert-Jan Bartunek)