Mercado de soja seguirá ajustado apesar de safra maior dos EUA

terça-feira, 9 de outubro de 2012 14:49 BRT
 

AMSTERDÃ, 9 Out (Reuters) - Uma safra de soja maior que esperado nos Estados Unidos trará algum alívio ao mercado, mas a oferta permanecerá apertada até o início de 2013 devido à fraca produção no Brasil e Argentina, disse a Oil World nesta terça-feira.

Os três maiores exportadores de soja --Estados Unidos, Brasil e Argentina-- vão ofertar um total de 85,5 milhões de toneladas de soja para exportação no período entre setembro de 2012 e fevereiro de 2013, segundo a consultoria.

A queda na oferta em relação às 96,43 milhões de toneladas do mesmo período do ano passado vai levar ao racionamento da demanda, acrescentou.

"A perspectiva de fortes declínios no esmagamento de soja e nas exportações líquidas vai forçar a reduções no consumo mundial de soja e seus produtos, mesmo se assumirmos uma forte redução nos estoques de países importadores".

Uma grande safra na América do Sul logo após fevereiro de 2013 poderá ajudar a aliviar o aperto global do financiamento depois que a seca atingiu safras dos EUA, Brasil e Argentina, disse a Oil World em setembro.

Nos Estados Unidos, chuvas oportunas em agosto, quando as lavouras entravam em estágio crítico de desenvolvimento, levaram muitos analistas a elevarem suas estimativas para a produtividade e tamanho da safra que o USDA deve apresentar no relatório desta semana.

O mercado de soja dos Estados Unidos, no qual os preços tombaram 11 por cento nas últimas três semanas depois do rali após a seca, pode seguir nova direção quando o governo atualizar os dados de produtividade e produção na quinta-feira.

Mas mesmo um aumento na safra não será suficiente para aliviar o mercado nesta temporada em que o maior importador de soja do mundo, a China, voltou-se para os Estados Unidos na tentativa de cobrir sua demanda diante da fraca produção no Brasil e Argentina, disse a Oil World.

"As exportações de soja para a China foram atipicamente grandes para este período do ano em cerca de 2,5 milhões de toneladas em agosto e setembro, mas não podem compensar a queda nas exportações do Brasil e Argentina. A China recentemente começou a reduzir seus estoques para acomodar o efeito das importações menores".

"Com a atual estimativa para a safra dos EUA de soja trabalhando em 75 milhões de toneladas... os estoques de soja dos EUA podem ser reduzidos para apenas 27,5 milhões de toneladas no final de fevereiro de 2013, o menor nível em muitos anos e abaixo das 40 milhões de toneladas" do final de 2012, apontou a consultoria.

(Reportagem de Ivana Sekularac)