Obama e Romney trocam farpas e acusações para ganhar pontos

quarta-feira, 17 de outubro de 2012 10:20 BRT
 

Por Mark Felsenthal

WASHINGTON, 17 Out (Reuters) - O presidente democrata dos EUA, Barack Obama, e o adversário republicano, Mitt Romney, passaram boa parte do debate da noite de terça-feira verificando fatos e informações um do outro.

O momento mais polêmico aconteceu em resposta à pergunta de um membro da plateia, que era formada por eleitores indecisos, sobre a segurança da embaixada na Líbia.

O tema deu a Romney a chance de acusar o presidente de ter demorado duas semanas inteiras antes de admitir que o ataque que matou o embaixador norte-americano era de fato terrorismo.

Obama disparou de volta lembrando que havia feito isso em uma declaração no dia seguinte ao ataque nos jardins da Casa Branca. Romney pareceu surpreendido e a moderadora Candy Crowley, da CNN, confirmou que Obama tinha feito referência a terrorismo após o ataque.

Os dois candidatos também discutiram sobre assuntos relacionados a políticas energéticas. Romney disse que a rígida regulamentação do governo estava estrangulando a produção de combustíveis fósseis e eliminando empregos.

"O que nós não precisamos é ter um presidente que nos impede de aproveitar carvão, petróleo e gás", disse Romney.

Obama então mostrou a Romney uma declaração que o adversário fez enquanto lutava contra uma instalação de carvão poluente em Massachusetts, quando era governador do Estado.

"Quando eu ouço o governador Romney dizer que ele é um cara entusiasta de carvão, quer dizer, lembrem-se que, quando - governador, quando você era governador de Massachusetts, estava diante de uma fábrica de carvão e apontou para ela e disse: 'Esta fábrica mata', e ficou orgulhoso em fechá-la. E agora de repente você é um grande defensor do carvão."   Continuação...

 
Candidato republicano à presidência dos EUA, Mitt Romney (E), e o presidente Barack Obama falam durante segundo debate presidencial em Hempstead, Nova York. Obama e o adversário republicano, Mitt Romney, passaram boa parte do debate da noite de terça-feira verificando fatos e informações um do outro. 16/10/2012 REUTERS/Mike Segar