Governo deve prorrogar redução do IPI para carros até fim do ano--fonte

segunda-feira, 22 de outubro de 2012 17:47 BRST
 

BRASÍLIA, 22 Out (Reuters) - O governo deve prorrogar até o fim de dezembro a redução das alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de automóveis, para estimular as vendas no fim do ano e ajudar a reduzir os estoques do setor, informou uma fonte da equipe econômica à Reuters.

"A área técnica trabalha com a possibilidade da prorrogação", disse. "A decisão final será tomada em nível mais alto nos próximos dias", acrescentou a fonte referindo-se à decisão a ser tomada até a quarta-feira da próxima semana pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Mesmo apresentando melhora na produção-- a produção industrial subiu 1,5 por cento em agosto frente a julho, segundo o IBGE --, alguns segmentos industriais, incluindo o setor automotivo, ainda estão com estoques excessivos.

"A redução do IPI é uma medida pontual que tem funcionado bem para o setor automotivo", comentou a fonte.

A avaliação da área técnica do governo é que o estímulo ao setor automotivo beneficia um segmento amplo do setor industrial, considerando que a fabricação de veículos automotores como um todo responde por quase 20 por cento do setor industrial.

A redução do IPI para veículos foi anunciada em 21 de maio com validade até o fim de agosto. Na ocasião, foi reduzida de 7 por cento para zero a alíquota do imposto para veículos de até mil cilindradas, de 13 por cento para 6,5 por cento a alíquota dos veículos entre mil e duas mil cilindradas, e de 4 por cento para 1 por cento para comerciais leves.

No final de agosto o governo optou por manter o benefício até o próximo dia 31, quando nova decisão sobre o assunto será tomada.

NOVO REGIME AUTOMOTIVO

Em janeiro, entra em vigor o novo regime automotivo que estabelece crédito presumido de IPI de até 30 pontos percentuais para os fabricantes de veículos que fizerem investimentos em pesquisa e desenvolvimento e que se comprometerem a fabricar veículos com maior eficiência energética.   Continuação...