Coreia do Norte ameaça desfazer armistício que encerrou guerra

terça-feira, 5 de março de 2013 13:42 BRT
 

Por Jack Kim e Louis Charbonneau

SEUL/NAÇÕES UNIDAS, 5 Mar (Reuters) - A Coreia do Norte ameaçou nesta terça-feira desfazer um armistício que pôs fim à guerra civil de 1950-1953 e cortar uma "linha direta" militar com os Estados Unidos, se a Coreia do Sul e os norte-americano prosseguirem com um exercício de guerra com dois meses de duração.

Foi uma notável elevação da retórica belicosa do Norte, e seguiu comentários de diplomatas da ONU de que os Estados Unidos e a China haviam chegado a um acordo provisório sobre um projeto de sanções do Conselho de Segurança da ONU que puniria a Coreia do Norte por seu terceiro teste nuclear, realizado no mês passado.

"Vamos anular completamente o armistício coreano", disse o porta-voz do Comando Supremo do Exército Popular Coreano (KPA), segundo relatou da agência de notícias norte-coreana KCNA.

"O exercício de guerra que está sendo feito pelos Estados Unidos e pelo seu fantoche Coreia do Sul é um ato de destruição sistemática que visa o armistício coreano."

As duas Coreias continuam tecnicamente em guerra desde que o conflito de 1950-53 terminou com uma trégua e não um tratado de paz.

"Vamos suspender as atividades do escritório de representação do KPA em Panmunjom (local de trégua) que tinha sido provisoriamente operado por nosso Exército como o corpo de negociação para estabelecer um regime de paz na península coreana", acrescentou o porta-voz, segundo a KCNA.

"Relacionado a isso, nós estaremos tomando a decisão em paralelo para cortar a linha direta militar Panmunjom RPDC-EUA".

A Coreia do Norte, oficialmente chamada de República Popular Democrática da Coreia (RPDC), já chamou muita atenção para as linhas diretas com o Sul e os Estados Unidos ao longo dos anos, mas não é conhecida por ter alguma vez utilizado em momentos de maior tensão.   Continuação...

 
Soldados sul-coreanos e norte-americanos participam de exercício militar de inverno em Pyeongchang, 180 km a leste de Seul. A Coreia do Norte disse nesta terça-feira que irá abandonar o armistício assinado em 1953, que encerrou um conflito de três anos com a rival Coreia do Sul, caso o Sul e os EUA continuem com os exercícios militares anuais. 07/02/2013 REUTERS/Lee Jae-Won