Em clima de campanha, Aécio recebe apoio de Alckmin para presidir PSDB

segunda-feira, 25 de março de 2013 22:29 BRT
 

SÃO PAULO, 25 Mar (Reuters) - Em clima de campanha para presidente da República, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) participou de um congresso do diretório paulista do PSDB nesta segunda-feira, foi aclamado por integrantes da legenda como candidato na eleição do ano que vem e recebeu apoio do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para presidir o partido a partir de maio.

A escolha de Aécio para o comando do PSDB seria um passo a mais em sua caminhada para se tornar o candidato do partido na eleição presidencial de 2014 e tentar levar os tucanos de volta ao Palácio do Planalto, de onde saíram em 2003 com a chegada ao poder do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT.

"Que você, Aécio, assuma a presidência do PSDB, percorra o Brasil, fale com o povo brasileiro e una o partido", disse Alckmin ao lado do senador mineiro, do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e de lideranças tucanas do Estado de São Paulo.

Aécio foi recebido aos gritos de "presidente" e com faixas de "O PSDB de São Paulo está com Aécio". Ele foi aplaudido várias vezes durante seu discurso, recheado de críticas ao governo da presidente Dilma Rousseff, e aproveitou para cumprimentar e tirar foto com militantes da legenda.

O senador, no entanto, evitou falar explicitamente em candidatura presidencial e disse que o partido tem de se concentrar em apresentar uma alternativa de governo aos eleitores.

"Não é hora ainda de antecipar o debate eleitoral. Quem fez isso foi o governo", disse o senador a jornalistas. "O PSDB não tem sequer o direito de se negar a apresentar ao Brasil uma alternativa ao modelo de governo que está aí."

O PSDB paulista era uma das principais barreiras às pretensões de Aécio de ser o candidato tucano nas eleições presidenciais no ano que vem.

Reportagens veiculadas recentemente pela imprensa afirmavam que Alckmin e o ex-governador José Serra, derrotado pelo PT em duas eleições presidenciais, seriam contra a chegada do mineiro à presidência do partido, apontada como estratégica para Aécio se tornar candidato ao Planalto em 2014.

Serra não compareceu ao evento do diretório paulista da legenda nesta segunda-feira, pois estava em viagem ao exterior.   Continuação...