Chanceler italiano pede demissão por volta de marines à Índia

terça-feira, 26 de março de 2013 15:50 BRT
 

Por Steve Scherer

ROMA, 26 Mar (Reuters) - O ministro italiano das Relações Exteriores, Giulio Terzi, demitiu-se nesta terça-feira por causa da decisão de seu governo de devolver dois marines à Índia para serem julgados pelo assassinato de pescadores locais enquanto estavam em uma missão antipirataria.

"Não posso mais fazer parte deste governo e anuncio minha demissão", disse Terzi durante declaração à Câmara dos Deputados. "Minhas reservas sobre enviar os marines de volta à Índia não foram escutadas".

O primeiro-ministro Mario Monti disse que ficou "estupefato" com a decisão de Terzi, porque os dois tinham se encontrado mais cedo e Terzi não havia lhe dito que se demitiria.

Monti afirmou que a opinião de Terzi de que os marines não deveriam voltar para a Índia "não é compartilhada pelo governo". O presidente Giorgio Napolitano nomeou Monti como chanceler interino.

Os marines Salvatore Girone e Massimiliano Latorre serão julgados na Índia pela morte de dois pescadores do Estado de Kerala, no sul, em fevereiro de 2012, quando estavam em uma missão antipirataria em um navio-tanque comercial italiano.

Eles disseram que dispararam tiros de advertência ao barco, que acreditavam ser uma embarcação pirata.

Desde o incidente, Índia e Itália estão envolvidas em uma rixa crescente, em uma época em que Roma tenta garantir um grande acordo para vender helicópteros ao governo indiano.

Os marines puderam voltar para casa para o Natal, e de novo para votar nas eleições italianas em fevereiro, sob a condição de voltarem à Índia.   Continuação...