MAN quer produzir 20% mais no Brasil em 2013

segunda-feira, 1 de abril de 2013 18:21 BRT
 

SÃO PAULO, 1 Abr (Reuters) - A MAN, do grupo Volkswagen, pretende aumentar em 20 por cento a produção de caminhões no Brasil em 2013 e ampliar as vendas em 10 por cento, numa retomada após forte queda do mercado brasileiro no ano passado.

Em entrevista à Reuters, o presidente-executivo da MAN América Latina, Roberto Cortes, afirmou que a companhia vem registrando no início deste ano um crescimento acima de 10 por cento nas consultas sobre potenciais novas encomendas de caminhões, o que sinaliza "uma melhora geral do mercado".

"Estimamos que a economia do Brasil vai crescer 4 por cento nos próximos anos e que a questão do nó da infraestrutura do país será destravada. A última vez que o país investiu em infraestrutura foi em 1970", afirmou Cortes.

"Os empresários este ano estão mais confiantes e os veículos vendidos estão mais produtivos" com a entrada dos motores Euro V, que emitem menos poluentes e possuem consumo menor de combustível.

"Uma parte de quem não comprou caminhão no ano passado vai comprar este ano", disse Cortes citando fim de incertezas sobre disponibilidade do diesel S-50, usado nos novos motores, e das regras de financiamento, com a prorrogação de juros reduzidos pelo BNDES até o final do ano.

Ele afirmou ainda que a prorrogação de IPI zerado para caminhões até o fim de 2013, anunciada pelo governo no sábado , também vai ajudar o setor.

O executivo citou setores como agropecuário e de construção civil entre os que vêm registrando aumento na demanda por caminhões, um dos termômetros do investimento na economia. A expectativa de Cortes é que o mercado brasileiro de caminhões cresça 7,5 por cento em 2013.

"Esperamos aumentar a produção em 20 por cento e as vendas ao redor de 10 por cento", disse o presidente-executivo da MAN para a América Latina, Antonio Roberto Cortes, durante fórum automotivo, em São Paulo.

Em janeiro, a Iveco, marca do grupo Fiat Industrial, estimou alta de até 12 por cento nas vendas de caminhões no Brasil este ano.   Continuação...