Governo inclui mais 14 setores na desoneração da folha salarial

sexta-feira, 5 de abril de 2013 17:49 BRT
 

Por Patrícia Duarte

SÃO PAULO, 5 Abr (Reuters) - O governo incluiu mais 14 setores na desoneração da folha de pagamento, mas com efeito apenas a partir do início de 2014, em mais um esforço para estimular os investimentos das empresas e acelerar o crescimento econômico.

Os setores de construção, engenharia e equipamentos militares e aeroespaciais, entre outros, pagarão a partir do ano que vem alíquota de 2 por cento sobre o faturamento bruto, ao invés de recolher 20 por cento de contribuição previdenciária sobre a folha, segundo medida provisória divulgada nesta sexta-feira.

Outros setores beneficiados incluem carga e descarga de contêineres em portos, infraestrutura aeroportuária e empresas jornalísticas e de radiodifusão, armas e munições. O percentual que incide sobre o faturamento bruto, nesses casos, será de 1 por cento.

A desoneração da folha beneficia atualmente 42 setores e tem como objetivo reduzir o custo de produção no Brasil. A renúncia fiscal em 2014 com a desoneração dos 14 novos setores será de cerca de 5,4 bilhões de reais, disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

O governo espera que a redução dos custos de produção se traduza em expansão dos investimentos, que no ano passado recuaram e comprometeram o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

Para o economista Gustavo Mendonça, da gestora de recursos Saga Capital, a desoneração anunciada nesta sexta é um dos primeiros sinais de que o governo está preocupado com o desempenho da economia também em 2014.

"O governo está olhando à frente e vendo que 2014 pode não apresentar um crescimento tão robusto como esperava antes", disse o economista à Reuters.

De acordo com Mantega, somente neste ano a União está abrindo mão de cerca de 50 bilhões de reais em arrecadação com as desonerações em vigor, que incluem outros benefícios fiscais, como a isenção tributária dos produtos da cesta básica e a redução do IPI dos automóveis.   Continuação...

 
Ministro da Fazenda Guido Mantega na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, em Brasília. O governo estendeu para 14 setores a desoneração da folha de pagamento, com efeito apenas a partir do início de 2014, em mais um esforço para estimular os investimentos das empresas e acelerar o crescimento econômico. 21/03/2013. REUTERS/Ueslei Marcelino