Temer critica antecipação da disputa eleitoral para este ano

sexta-feira, 12 de abril de 2013 14:36 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 12 Abr (Reuters) - O vice-presidente Michel Temer criticou nesta sexta-feira a antecipação da corrida presidencial de 2014 para este ano, envolvendo PT, PSDB, PSB e o embrionário Rede.

"Lamentável que tenha começado agora tão cedo" , disse ele a jornalistas após o lançamento de seu livro de poesias, "Anônima Intimidade".

Em fevereiro, durante a comemoração dos 10 anos do PT à frente do governo federal, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentou a presidente Dilma Rousseff como candidata à reeleição.

Ao mesmo tempo, o senador Aécio Neves (MG), provável candidato do PSDB à Presidência, busca consolidar seu nome entre os tucanos e oposicionistas, enquanto o governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos, tem ensaiado um discurso eleitoral em meio a crescentes expectativas de que lançará seu nome na disputa do ano que vem.

O quadro se completa com a ex-senadora Marina Silva, terceira colocada na eleição presidencial de 2010, com quase 20 milhões de votos, que busca viabilizar a criação de um novo partido, o Rede, para voltar a concorrer à Presidência.

Para Temer, a antecipação da corrida pelo Planalto causou um efeito cascata nos Estados.

"Acho que tínhamos que deixar para o fim deste ano ou começo do ano que vem. Ano eleitoral é 2014 e não 2013", declarou Temer.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier; Edição de Alexandre Caverni)