Putin diz que lei do casamento gay na França pode ameaçar adoções

sexta-feira, 26 de abril de 2013 16:01 BRT
 

Por Steve Gutterman

MOSCOU, 26 Abr (Reuters) - O presidente russo, Vladimir Putin, sinalizou nesta sexta-feira que seu governo irá buscar mudanças no acordo que regulamenta as adoções de crianças russas por pais franceses, alegando que a lei francesa que permite o casamento homossexual ia contra os valores tradicionais russos.

A Rússia já suspendeu adoções por norte-americanos em uma disputa com Washington sobre direitos humanos. Qualquer movimento para acabar com o acordo com a França, ou impor novas restrições, poderá aprofundar a divisão entre Putin e nações europeias sobre a homossexualidade e os direitos dos homossexuais.

Putin, que muitas vezes defendeu valores socialmente conservadores desde que começou um terceiro mandato em maio do ano passado, foi recebido na Holanda neste mês por manifestantes que protestavam contra a legislação russa que, segundo críticos, discrimina gays.

Em uma reunião sobre questões infantis, Putin expressou seu apoio à deputado regional Marina Orgeyeva que propôs rever o acordo de adoção com a França por causa de sua decisão de permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo, disseram agências de notícias russas. O parlamento francês aprovou a nova lei na terça-feira.

"Ela está certa. Precisamos reagir ao que está acontecendo ao nosso redor", disse Putin, segundo a Interfax. "Respeitamos os nossos parceiros, mas pedimos que respeitem as nossas tradições culturais e as normas éticas, legislativas e morais da Rússia."

"Eu acho que nós temos o direito de fazer as alterações."