Vendas no varejo brasileiro caem 0,2% no 1º tri; inflação pesa

quarta-feira, 15 de maio de 2013 11:23 BRT
 

Por Walter Brandimarte e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO, 15 Mai (Reuters) - As vendas no varejo brasileiro caíram 0,1 por cento em março ante fevereiro, um pouco melhor do que o esperado mas ainda afetadas pelo setor de supermercados, fechando o primeiro trimestre com queda de 0,2 por cento sobre o período imediatamente anterior.

Trata-se da primeira contração trimestral na margem desde o quarto trimestre de 2008 (-0,5 por cento), mostrando que a economia ainda se arrastou no início deste ano e pode levar a estimativas menores de expansão da atividade para este ano.

Na comparação com março de 2012, as vendas subiram 4,5 por cento, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira. Analistas ouvidos pela Reuters previam que o volume de vendas cairia 0,3 por cento ante fevereiro e subiria 3,8 por cento ante o mesmo mês do ano anterior.

"Cada vez mais o consumo vai perder participação, vai deixar de ser o 'driver' do PIB (Produto Interno Bruto). E vamos ter que contar mais com a retomada do investimento", disse a economista do BNY Mellon ARX Camila Monteiro.

SUPERMERCADOS

Segundo o IBGE, o setor de Hipermercados, supermercados e produtos alimentícios registrou queda mensal de 2,1 por cento em março, pior do que a contração de 1,4 por cento vista em fevereiro, quando a resistente pressão sobre a inflação afetou o consumo.

O resultado de março só perde para o de fevereiro de 2008, quando as vendas nesse setor recuaram 2,2 por cento, segundo o IBGE, destacando orçamentos mais apertados das famílias apesar do baixo nível de desemprego.

O alto nível da inflação ao consumidor, sobretudo nos preços de alimentos, deve ter continuado a ter impacto negativo nas vendas ao varejo, afirmou o economista do IBGE Reinaldo Pereira.   Continuação...

 
Mulher olha roupas em loja no Rio de Janeiro, em novembro de 2012. As vendas no varejo brasileiro caíram 0,1 por cento em março ante fevereiro, e registraram elevação de 4,5 por cento em relação a igual mês de 2012, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 30/11/2012 REUTERS/Sergio Moraes