YPF perde caso sobre interrupção de exportação de gás ao Brasil

segunda-feira, 27 de maio de 2013 12:03 BRT
 

BUENOS AIRES, 27 Mai (Reuters) - A estatal de energia da Argentina, a YPF, perdeu um caso de arbitragem internacional bilionário por ter suspendido as exportações de gás natural para o Brasil, disse a empresa nesta segunda-feira em um comunicado à bolsa de Buenos Aires.

A YPF suspendeu as exportações de gás para o Brasil desde 2004 e rescindiu os contratos com a AES Uruguaiana (AESU) e com a operadora de gasoduto Transportadora de Gas del Mercosur (TGM) em 2009.

A Câmara de Comércio Internacional, um painel de arbitragem com sede em Paris, decidiu em favor das empresas, que haviam entrado com uma ação contra a YPF, juntamente com a Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul (Sulgás), por cerca de 1,4 bilhão de euros, disse uma fonte da indústria.

Naquela época a YPF era controlada pela espanhola Repsol, mas que há um ano foi expropriada pelo governo argentino.

"Esta decisão é somente sobre a responsabilidade das partes, deixando de fora a determinação dos danos que poderiam existir e que podem ser objeto de um novo processo de arbitragem perante o mesmo tribunal", disse a empresa em um comunicado à bolsa.

A Argentina suspendeu suas exportações de gás natural para o Brasil e Chile em 2004, quando a produção do combustível começou a cair.

A TGM, que opera um gasoduto argentino até a fronteira com o Brasil, tem entre seus acionistas para a argentina Tecpetrol, a francesa Total, a malaia Petronas e a norte-americana CMS Energy.

A AESU pertence ao grupo brasileiro AES, enquanto que 51 por cento do capital da Sulgás são controlados pelo Estado do Rio Grande do Sul e o restante é de propriedade da Petrobras.

A decisão desfavorável à YPF vem em um momento em que a empresa está à procura de parceiros para financiar um plano estratégico ambicioso para 7 bilhões de dólares anuais até 2017 para elevar sua reduzida produção de petróleo.

(Reportagem de Karina Grazina)