Putin impede tentativa do G8 de derrubar Assad

terça-feira, 18 de junho de 2013 15:34 BRT
 

Por Alexei Anishchuk e Andrew Osborn

ENNISKILLEN, Irlanda do Norte, 18 Jun (Reuters) - O presidente russo, Vladimir Putin, prejudicou os esforços ocidentais de remover do poder o líder sírio, Bashar al-Assad, durante a cúpula do G8 nesta terça-feira e, horas após reunir-se com o presidente norte-americano, Barack Obama, disse que o Kremlin pode vender mais armas à Síria.

Em um comunicado final após dois dias de intensas negociações, líderes globais pediram que sejam realizadas conversas de paz o mais rápido possível para resolver a guerra civil síria. Mas nem mesmo mencionaram o nome de Assad.

Putin, aparentando isolamento na cúpula, entrou em confronto com outros líderes sobre a Síria e resistiu às tentativas de fazê-lo concordar com qualquer coisa que implicasse na renúncia de Assad.

Falando no final da cúpula, realizada em um resort de golfe isolado na Irlanda do Norte, Putin assumiu um tom desafiador. Disse ao Ocidente que enviar armas aos rebeldes poderia ser um tiro pela culatra, e ao mesmo tempo defendeu seus próprios contratos militares com o governo sírio.

"Há diferentes tipos de fornecimentos. Nós fornecemos armas baseados em contratos legais com um governo legal... e se assinarmos esses contratos (no futuro), iremos fornecer (mais armas)".

Obama e seus aliados querem que Assad transfira o poder enquanto Putin, cuja retórica se tornou cada vez mais antiocidental desde que foi reeleito no ano passado, acredita que isso seria desastroso.

A Rússia vem sendo o aliado mais poderoso de Assad enquanto suas forças lutam para esmagar uma revolta em que 93 mil pessoas morreram desde março de 2011, e que agora está se espalhando para os países vizinhos.

Moscou já vetou duas resoluções do Conselho de Segurança da ONU que censuravam o governo Assad, amplamente criticado pela ferocidade com a qual lançou a repressão aos rebeldes.   Continuação...