Preços do trigo disparam na Argentina com aperto nos estoques

quarta-feira, 19 de junho de 2013 18:30 BRT
 

Por Hugh Bronstein

BUENOS AIRES, 19 Jun (Reuters) - A redução no plantio e o tempo desfavorável na safra passada impulsionaram os preços do trigo argentino a máximas de todos os tempos, afetando exportações e fazendo com que indústrias argentinas se perguntem se terão estoques de farinha para atravessar o inverno no hemisfério sul.

Inundações no cinturão agrícola dos Pampas no final do ano passado, seguidas pelo clima excessivamente quente e seco, afetaram a qualidade dos grãos e reduziram a safra 2012/13 para 9 milhões de toneladas, contra 14,1 milhões na temporada anterior.

Essa quebra de safra apertou os estoques, levando o preço do trigo no armazém para 363 dólares por tonelada, contra 219 dólares no início do ano.

"Nós nunca vimos os preços do trigo neste patamar na Argentina", disse Leandro Pierbattisti, analista da indústria local.

Simultaneamente à quebra de safra, a demanda foi forte para trigo no país sul-americano.

O Brasil, maior importador do trigo argentino e que também teve sua safra prejudicada na temporada passada pelo mau tempo, manteve o ritmo das compras.

Os brasileiros importaram de janeiro a maio 2,3 milhões de toneladas do cereal da Argentina, volume praticamente estável em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados do governo. E os moinhos do país tiveram que recorrer a outras origens, como o produto dos EUA e do Canadá.

O trigo argentino foi semeado em apenas 3,2 milhões de hectares no ano passado, abaixo da média histórica do país de 5 a 6 milhões, com produtores pouco estimulados a plantar o cereal.   Continuação...