Cosan diz que ALL descumpre volumes contratados para escoar açúcar

sexta-feira, 28 de junho de 2013 21:27 BRT
 

SÃO PAULO, 28 Jun (Reuters) - A gigante do setor de açúcar e etanol Cosan disse nesta sexta-feira que a operadora ferroviária ALL não tem cumprido os volumes contratados para escoamento de açúcar, dando prioridade para a movimentação de grãos.

"Nosso negócio é montado com foco na ferrovia, e nós estamos tendo que usar caminhão (para escoar açúcar)... A gente tem tudo isso negociado e nós estamos tentando repassar isso para a própria concessionária, a ALL", afirmou o presidente da Cosan Infraestrutura, Julio Fontana, no intervalo de um evento em São Paulo.

Segundo ele, esse movimento da ALL de dar prioridade aos embarques de grãos em detrimento do açúcar teve início no ano passado, mas ganhou força nesta temporada em meio à safra recorde de grãos do país.

Questionado sobre qual seria o volume de açúcar escoado por caminhão em vez da ferrovia, um modal tradicionalmente mais barato, o executivo disse que ainda é difícil calcular este percentual.

"A safra começou fraca, estamos no terceiro mês da safra, então ainda não tenho um percentual para te passar", acrescentou.

Em comunicado à imprensa, a ALL afirmou que não prioriza uma carga em detrimento de outra, mas admitiu que restrições de capacidade alheias à sua vontade impediram o atendimento de 100 por cento dos volumes assumidos em contrato.

Segundo a ALL, esses volumes assumiam a entrada em operação do trecho de duplicação da malha ferroviária entre Itirapina e Santos, ampliando a capacidade de 15 para 35 pares de trem por dia, o que não ocorreu.

"Por questões indígenas e licenças ambientais, a obra atrasou e deve ser concluída em 2014. Adicionalmente o cumprimento dos volumes também dependia do aumento de capacitação na infraestrutura portuária por parte dos clientes, que ainda não foi concluída", afirmou a empresa.

O Brasil colheu no primeiro semestre uma safra recorde de soja, acima de 80 milhões de toneladas. Os embarques em maio foram históricos, de quase 8 milhões de toneladas, e se mantiveram elevados nas primeiras semanas de junho.   Continuação...