Manifestações derrubam popularidade de Dilma e complicam reeleição, mostra CNT/MDA

terça-feira, 16 de julho de 2013 22:37 BRT
 

Por Jeferson Ribeiro

BRASÍLIA, 16 Jul (Reuters) - As manifestações populares que tomaram as ruas em todo o país continuam cobrando seu preço do governo da presidente Dilma Rousseff, com forte queda de popularidade e um caminho bem mais complicado para a reeleição, mostrou pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira.

Segundo o levantamento do instituto MDA encomendado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), 31,3 por cento dos entrevistados fizeram uma avaliação positiva do governo neste mês, ante 54,2 por cento em junho.

Já 38,7 por cento veem o governo como regular, ante 35,6 por cento no mês passado. A avaliação negativa mais do que triplicou, passando a 29,5 por cento, ante 9 por cento. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais.

A aprovação do desempenho pessoal de Dilma desabou para 49,3 por cento neste mês, ante os 73,7 por cento registrados em junho. Já a taxa dos que desaprovam o desempenho da presidente pulou para 47,3 por cento, em comparação aos 20,4 por cento anteriores.

No mês passado, manifestantes tomaram as ruas do país para reivindicar melhores serviços públicos e combate à corrupção, entre outras demandas. As manifestações foram aprovadas por 84,3 por cento dos entrevistados, segundo a pesquisa CNT/MDA.

"Estão muito ligados os protestos a questões específicas e a resultados que as pessoas querem", disse o presidente da CNT, senador Clésio Andrade (PMDB-MG), para argumentar que uma recuperação dos níveis anteriores de popularidade é "muito difícil".

Para Andrade, a resolução dos problemas como transporte público, saúde e educação demandam bilhões de reais em investimentos e os resultados demoram muitos anos para aparecer. Por isso, uma recuperação da popularidade nos níveis do começo do ano dificilmente ocorrerá.

"Se as manifestações continuarem e as manifestações derem a entender que são os políticos e que a presidenta é a principal responsável, na minha opinião, não vai voltar ao seu patamar normal (de aprovação)", analisou.   Continuação...

 
A presidente Dilma Rousseff participa do lançamento do Programa Inova Empresa, em Brasília, em março. Segundo a mais recente pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira, 31,3 por cento dos entrevistados fizeram uma avaliação positiva do governo neste mês, queda ante 54,2 por cento em junho. 14/03/2013 REUTERS/Ueslei Marcelino