Vazamento de petróleo afeta turismo na Tailândia, diz ministro

terça-feira, 30 de julho de 2013 11:30 BRT
 

Por Amy Sawitta Lefevre

BANGCOC, 30 Jul (Reuters) - Um vazamento de petróleo que deixou negras as praias de uma conhecida ilha tailandesa está tendo um forte impacto sobre o fluxo de turistas e pode se espalhar para a costa continental, afetando também a pesca, disseram autoridades e ambientalistas nesta terça-feira.

Os turistas estão deixando a ilha de Koh Samet, 230 quilômetros a sudeste de Bangcoc, enquanto soldados e voluntários em trajes especiais tentam retirar a camada escura que cobre a areia branca.

"Estamos trabalhando para transferir os visitantes para outros locais se eles desejarem se transferir", disse o ministro do Turismo, Somsak Phurisisak, a jornalistas. "Estou muito preocupado, não pensava que esse vazamento fosse impactar o turismo de forma tão extrema."

Cerca de 50 mil litros de petróleo bruto vazaram no sábado de um oleoduto no golfo da Tailândia, a cerca de 20 quilômetros da costa. Foi o quarto vazamento mais grave na história do país.

A empresa PTT Global Chemical, que opera o duto, pediu desculpas pelo acidente, e disse que o vazamento já foi sanado, mas que a operação de limpeza ainda vai durar mais dois ou três dias.

O local mais afetado na ilha foi Ao Prao, ou Baía do Coco, mas turistas em outros pontos da ilha também estão indo embora.

Ambientalistas manifestaram dúvidas quanto à real dimensão do desastre.

"O que aconteceu é bem mais sério do que a PTT disse no primeiro dia. Podemos esperar um impacto sobre a pesca e pela contaminação química na cadeia alimentar", disse à Reuters Ply Pirom, gerente de programa do Greenpeace no Sudeste Asiático.

A PTT Global Chemical é parte da estatal PTT, maior empresa energética tailandesa.

(Reportagem adicional de Pracha Hariraksapitak e Athit Perawongmetha)

 
Soldados tailandeses trabalham em operação de limpeza na praia Ao Prao, na ilha de Koh Samet. Um vazamento de petróleo que deixou negras as praias da conhecida ilha tailandesa está tendo um forte impacto sobre o fluxo de turistas e pode se espalhar para a costa continental, afetando também a pesca, disseram autoridades e ambientalistas nesta terça-feira. 30/07/2013. REUTERS/Athit Perawongmetha