Filha de Berlusconi surge como possível líder da centro-direita italiana

quarta-feira, 7 de agosto de 2013 15:13 BRT
 

Por Danilo Masoni

MILÃO, 7 Ago (Reuters) - Embora Silvio Berlusconi tenha prometido lutar, a condenação do ex-premiê italiano por fraude fiscal alimentou a especulação de que sua filha mais velha, Marina, chefe do império familiar de 6,6 bilhões de dólares, poderia assumir seu lugar como líder da centro-direita na Itália.

Membros do partido Povo da Liberdade (PDL) insistem que Berlusconi, de 76 anos, continua firme na liderança e irá manter seu comando de 20 anos à frente da centro-direita.

Mas o fracasso do magnata da mídia em derrubar uma condenação na semana passada significa que ele terá que se submeter à prisão domiciliar por um ano ou a fazer serviço comunitário, o que deve afetar suas habilidades de fazer campanha.

Ele também deve ser afastado do Senado e não poderá se apresentar como candidato eleitoral.

Esse cenário reforçou a ideia de que Marina, que completa 47 anos no sábado, poderia ao menos virar a figura de frente do PDL, apesar de sua atestada relutância em entrar para a política.

Sob esse possível quadro, Berlusconi iria continuar a exercer grande influência como o fundador do partido, mas sua filha iria desempenhar um papel mais público e de campanha.

Tal especulação é encorajada pelo fato de que o PDL existe apenas por causa de Berlusconi, e depende totalmente de sua riqueza e liderança.

"Eu preferiria continuar a ter Berlusconi. Dito isso, sinto-me totalmente à vontade com Marina", disse Daniela Santanche, uma das mais leais partidárias de Berlusconi, a um programa de televisão.   Continuação...