Mais Médicos e queda de preços elevam aprovação de Dilma, diz CNT/MDA

terça-feira, 10 de setembro de 2013 14:15 BRT
 

BRASÍLIA, 10 Set (Reuters) - A avaliação do governo e a aprovação pessoal de Dilma Rousseff melhorou em setembro, beneficiadas principalmente pelo programa federal que traz médicos estrangeiros ao país e pela queda dos preços de alimentos e transportes, apontou pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira.

Segundo o levantamento do instituto MDA encomendado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), a avaliação positiva do governo subiu para 38,1 por cento, ante 31,3 por cento em julho, enquanto a aprovação pessoal de Dilma passou para 58,0 por cento, ante 49,3 por cento.

Para o presidente da CNT, senador Clésio Andrade (PMDB-MG), além da redução de preços de alimentos e das tarifas de transporte público e do programa Mais Médicos, um "otimismo" dos entrevistados com relação à renda também ajudou na melhora da popularidade de Dilma.

"Os três fatores são predominantes para a recuperação tanto da avaliação do governo, quanto da avaliação pessoal, quanto da intenção de voto", disse o senador a jornalistas.

A sondagem deste mês aponta que 73,9 por cento dos entrevistados aprova a polêmica contratação de médicos estrangeiros no programa Mais Médicos. Na pesquisa de julho, o percentual de aprovação era de 49,7 por cento.

Apesar da queda nos preços ter estimulado uma recuperação da popularidade da presidente, na opinião de Andrade, a pesquisa mostrou pessimismo dos entrevistados com relação ao controle da inflação.

Apenas 15,0 por cento dos entrevistados acreditam que a inflação está controlada, enquanto 75,9 por cento responderam não acreditar que ela está sob controle.

Para 39,7 por cento, o governo é regular, ante 38,7 por cento em julho. A avaliação negativa caiu para 21,9 por cento, ante 29,5 por cento. O desempenho pessoal de Dilma é desaprovado por 40,5 por cento dos entrevistados, ante 47,3 por cento em julho. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais.

Mesmo com a melhora na popularidade, a presidente ainda está longe dos patamares pré-manifestações populares de junho, que tomaram conta das ruas de diversas cidades do país, pedindo a melhoria dos serviços públicos, como transporte, educação e saúde, contra a corrupção e os gastos públicos em eventos esportivos.   Continuação...

 
Presidente Dilma Rousseff fala durante cerimônia em que sancionou a lei que destina os royalties do petróleo para educação e saúde, no Palácio do Planalto, em Brasília. A avaliação do governo Dilma Rousseff melhorou em setembro, mostrou pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira. 9/09/2013. REUTERS/Celso Junior