TSE nega registro da Rede; Marina ainda avalia candidatura

sexta-feira, 4 de outubro de 2013 19:16 BRT
 

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA, 3 Out (Reuters) - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou, nesta quinta-feira, o pedido de registro da Rede Sustentabilidade, partido que a ex-senadora Marina Silva tentava criar para concorrer ao Planalto em 2014, mas sua candidatura não está totalmente descartada.

A ex-senadora, segunda colocada nas recentes pesquisas de intenção de voto, deve decidir ainda na noite desta quinta-feira com aliados e apoiadores da sigla em formação seu futuro político e se irá se filiar a outra legenda para entrar na disputa do ano que vem. Marina vinha sustentando estar totalmente "focada" no "plano A", que era a Rede Sustentabilidade.

"Eu não discuti absolutamente nada de planos outros com ninguém e o plano A está saindo daqui vitorioso porque nós já somos um partido político, sim", disse ela logo após a decisão do TSE, acrescentando que discutiria a situação com seus aliados.

"E vamos discutir, entre nós aqui, meus companheiros de partido Rede Sustentabilidade."

Para a maioria dos ministros do TSE -- seis votos a um --, a Rede não pode ser registrada por não ter conseguido as 492 mil assinaturas de apoio válidas necessárias para sua criação.

"A contabilização... aponta para o não atingimento do quantitativo previsto em lei", disse a relatora do processo, ministra Laurita Vaz, acrescentando que rejeita o pedido no momento, mas que nada impede o partido de tentar novo registro assim que tiver as assinaturas necessárias.

"Para essas eleições (de 2014), eu voto pelo indeferimento", afirmou ela, explicando que o partido pode pedir novo registro assim que conseguir as assinaturas.

Acompanharam a relatora os ministros João Otávio de Noronha, Henrique Neves, Luciana Lóssio, Marco Aurélio Mello e Cármen Lúcia. Apenas o ministro Gilmar Mendes votou a favor da criação do partido. Segundo a Justiça Eleitoral, foram certificadas cerca de 442 mil assinaturas.   Continuação...

 
A ex-senadora Marina Silva observa votação no TSE, que rejeitou a criação de seu partido, o Rede Sustentabilidade, nesta quinta-feira, em Brasília. REUTERS/Ueslei Marcelino