Rede admite se descolar do projeto do PSB em disputas estaduais

quarta-feira, 9 de outubro de 2013 20:57 BRT
 

BRASÍLIA, 9 Out (Reuters) - Apesar de ter firmado uma aliança programática com o PSB no sábado, os membros da Rede Sustentabilidade, movimento político comandado pela ex-senadora Marina Silva, disseram nesta quarta-feira que podem se descolar do projeto socialista em algumas disputas estaduais.

A Rede Sustentabilidade aderiu ao projeto do governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos, depois que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não concedeu o registro partidário para a Rede, o que permitiria a Marina Silva se candidatar à Presidência pelo partido que buscava criar.

Marina disse nesta quarta que os limites para a aliança com o PSB serão baseadas na "coerência programática" evitando, porém, apontar quais negociações específicas do PSB não poderiam ser levadas adiante para que ela e a Rede continuassem coligados a Campos.

"Estaremos juntos na coligação nacional (com o PSB), mas vamos analisar caso a caso nos Estados", disse aos jornalistas o secretário de organização da Rede, Pedro Ivo.

Eles negaram, porém, que isso signifique que a Rede está usando a lógica idêntica dos demais partidos, que fazem alianças de acordo com as conveniências regionais.

"A coerência nos diz que nossas coligações serão programáticas. Ela será nos Estados a mesma coisa. Existirão alguns momentos em que poderemos caminhar juntos com o PSB e outros não", disse Marina. "Somos partidos independentes", acrescentou.

"Não estamos submetidos às decisões do PSB", disse o secretário de organização da Rede.

A Rede reunirá sua comissão nacional no domingo, em Brasília, para discutir as diretrizes do aprofundamento e os desdobramentos da aliança com o PSB. Serão discutidos temas relacionados ao programa do partido e também às alianças estaduais.

VICE   Continuação...