Cade abre investigação contra Google no mercado de buscas no Brasil

domingo, 13 de outubro de 2013 10:30 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Autoridades de defesa da concorrência do Brasil abriram investigação contra o Google por suspeita de práticas anticompetitivas no mercado de buscas no país, após acusações apresentadas pela Microsoft e pela E-Commerce Media Group, dona dos sites Buscapé e Bondfaro.

A investigação foi aberta por meio de três processos administrativos diante de queixas de que o Google está privilegiando seus próprios sites em suas páginas de buscas, como o Google Shopping. A análise do Cade também vai avaliar se o Google está adotando "mecanismos" para confundir o usuário na identificação dos resultados retornados em pesquisas.

Representantes do Google não puderam ser contatados de imediato para comentar o assunto.

A E-Commerce alega que o Google Search permite a veiculação de anúncios com foto pelo Google Shopping, mas não por sites concorrentes de comparação de preços.

A denúncia alega também que o Google teria recusado a venda de espaço para anúncio com foto ao Buscapé e que, posteriormente, exigiu dados comercialmente sensíveis para permitir o anúncio, segundo o Cade.

Outra linha de investigação tratará do "scraping" ("raspagem"), método pelo qual o Google estaria se apropriando de conteúdo de sites rivais para uso em seus próprios sites temáticos. Conteúdos como comentários de clientes sobre a qualidade de produtos ou lojas reunidos pelo Buscapé e pelo Bondfaro estariam sendo usados indevidamente pelo Google Shopping.

"De acordo com a denúncia, uma vez que as opiniões dos usuários sobre produtos e serviços agregam informações relevantes e são um atrativo para ferramentas de buscas temáticas para compras, com essa prática o Google estaria subtraindo vantagens competitivas detidas por esses rivais e delas se beneficiando", afirmou o Cade em comunicado à imprensa.

Já a Microsoft, que detém o buscador Bing, afirmou em sua reclamação ao Cade que o contrato de prestação de serviços do Google AdWords contém restrições anticompetitivas.

Segundo denúncia da empresa, o Google impôs restrições que dificultam o gerenciamento de campanhas publicitárias simultaneamente no Google e em buscadores concorrentes, com o efeito de desestimular anunciantes a veicularem suas campanhas também em buscadores que concorrem com o Google.

(Por Renan Fagalde)