No Piauí, Campos diz que Nordeste não pode ser visto só pelos votos que tem

terça-feira, 22 de outubro de 2013 18:18 BRST
 

22 Out (Reuters) - O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, provável candidato do PSB à Presidência no ano que vem, disse nesta terça-feira que a região Nordeste não pode ser analisada somente pelos votos que tem.

Depois da aliança com a ex-senadora Marina Silva, Campos passou a ocupar a terceira posição nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência no cenário apontado como mais provável, com 15 por cento das intenções de voto. Ele passou o dia no Piauí onde foi homenageado pela Assembleia Legislativa do Estado e deu entrevista a uma rádio local.

"Queremos viver o resto das nossas vidas num Brasil que vá além, onde o Nordeste não seja visto apenas pelos votos que tem, mas pela alma generosa da sua boa gente. Vou pagar em prestações essa solidariedade recebida do povo do Piauí", disse Campos ao receber o título de cidadão piauiense, segundo site da Assembleia.

O eleitorado do Nordeste foi importante nas duas eleições do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e também teve papel significativo na eleição da presidente Dilma Rousseff, em 2010, dando votação expressiva tanto ao ex-presidente quanto à atual.

Segundo pesquisa do Datafolha, Dilma lidera a corrida presidencial no cenário apontado até agora como o mais provável, que além de Campos tem também o presidente do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), que aparece na segunda posição.

A pouco menos de um ano para a eleição, esse é o único cenário pesquisado pelo instituto em que Dilma seria reeleita no primeiro turno. O Datafolha pesquisou cenários em que Marina seria a candidata do PSB e o ex-governador de São Paulo José Serra, o do PSDB. Dilma lidera em todos.

(Reportagem de Eduardo Simões, em São Paulo)