Dilma exalta royalties para educação e diz que tem de aprender todos dias

quarta-feira, 23 de outubro de 2013 13:46 BRST
 

23 Out (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff voltou a exaltar nesta quarta-feira a destinação dos royalties do petróleo para a educação durante dois eventos em Belo Horizonte e disse que, como presidente, tem de estudar e aprender todos os dias.

Dilma, que inaugurou uma unidade de ensino infantil e participou de cerimônia de alunos beneficiados pelo programa do governo federal voltado ao ensino técnico, disse que somente na área de petróleo de Libra, leiloada na segunda-feira, serão arrecadados cerca de 1 trilhão de reais nos próximos 35 anos.

Ela lembrou que, com a aprovação de uma lei no Congresso Nacional, 75 por cento desses recursos terão a educação como destino.

"A lei é clara, e nós todos vamos ter de controlar isso... que essa receita seja gasta em educação. Pode ser gasta investindo e pagando custeio. Para ter uma educação de qualidade, nós vamos ter que gastar dinheiro e pôr um bom dinheiro na formação de professor", disse a presidente.

No início da tarde, a presidente participou da cerimônia de formatura de alunos beneficiados pelo Pronatec na capital mineira, governada pelo PSB, do governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos, e também um reduto do senador mineiro Aécio Neves (PSDB), provável candidato à Presidência da República no ano que vem.

Durante essa cerimônia, Dilma voltou a tocar em um assunto que gerou polêmica entre ela e a ex-senadora Marina Silva, que recentemente se aliou ao PSB e a Campos.

Ao aconselhar os recém-formados a continuarem a buscar conhecimento, Dilma disse que, como presidente, tem de estudar todos os dias.

"Eu, presidenta da República, sou uma pessoa que tenho todos os dias de estudar. Não pense que é mole não. Todos os dias eu sou obrigada a aprender. Todos os dias eu tenho que estar aberta para aprender."

A controvérsia com Marina se deu depois que a presidente disse em entrevista a rádios que aqueles que querem disputar a Presidência contra ela no ano que vem precisam "estudar muito". Em resposta, a ex-senadora disse que "difícil são aqueles que acham que já não têm mais o que aprender e só conseguem ensinar".

Dilma rebateu em sua conta no Twitter e disse não acreditar nos "soberbos" que julgam já terem aprendido tudo.

(Por Eduardo Simões, em São Paulo)