Filha de Berlusconi nega ter intenção de entrar para a política

segunda-feira, 28 de outubro de 2013 11:53 BRST
 

ROMA, 28 Out (Reuters) - A filha mais velha de Silvio Berlusconi, Marina, negou nesta segunda-feira especulações de que poderia suceder ao pai como líder da centro-direita italiana devido aos problemas enfrentados pelo ex-premiê com a Justiça.

Berlusconi, de 77 anos, já foi condenado por fraude tributária e enfrenta vários outros processos. Nas próximas semanas, ele pode ter seu mandato de senador cassado, o que o deixará exposto inclusive a ser preso.

Vários membros do partido de centro-direito de Berlusconi disseram no fim de semana que Marina poderia entrar na política, enquanto outros disseram que essa decisão deveria ser tomada por vias democráticas.

"Sou novamente forçada a negar isso da forma mais absoluta: nunca tive e não tenho a intenção de entrar para a política", disse nota assinada por Marina, de 47 anos, que comanda o império empresarial de Berlusconi.

A declaração ocorre num momento de profunda divisão na centro-direita italiana. O ex-premiê, homem mais rico da Itália, comandou na semana passada uma manobra para suspender as atividades do seu partido, o Povo da Liberdade, e retomar o Força Itália, agremiação que o lançou na política.

Analistas dizem que isso servirá para isolar o grupo do ministro do Interior, Angelino Alfano, que teve divergências com Berlusconi no mês passado, quando o ex-premiê ameaçou derrubar a coalizão do primeiro-ministro de centro-esquerda Enrico Letta como retaliação por sua eventual cassação parlamentar.

(Reportagem de Naomi O'Leary)

 
A filha mais velha de Silvio Berlusconi e presidente da Fininvest, Marina Berlusconi, participa de reunião com acionistas em Segrate, na Itália. Marina negou nesta segunda-feira especulações de que poderia suceder ao pai como líder da centro-direita italiana devido aos problemas enfrentados pelo ex-premiê com a Justiça. 21/4/2011. REUTERS/Paolo Bona