31 de Outubro de 2013 / às 18:54 / 4 anos atrás

Após crítica de Lula a Marina, Aécio diz que ex-presidente briga com história

Aécio Neves, presidente do PSDB, gesticula durante convenção do partido em Brasília. Aécio rebateu nesta quinta-feira as críticas que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez à ex-senadora Marina Silva, que disse que a estabilidade econômica foi conquistada no governo tucano. Aécio afirmou que Lula "briga com a história". 18/05/2013 REUTERS/Ueslei Marcelino

SÃO PAULO, 31 Out (Reuters) - O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), rebateu nesta quinta-feira as críticas que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez à ex-senadora Marina Silva, que disse que a estabilidade econômica foi conquistada no governo tucano. Aécio afirmou que Lula “briga com a história”.

Em evento nesta semana ao lado do governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos, Marina disse, assim como o governador, que a estabilidade econômica foi uma marca do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, enquanto a inclusão social era uma conquista da Era Lula. Ambos prometeram manter essas conquistas caso o PSB vença a eleição do ano que vem.

Lula, que teve Marina como sua ministra do Meio Ambiente, reagiu e disse que a ex-senadora precisava resistir às lições que tem recebido e que, quando assumiu o governo em 2003, o Brasil não vivia um momento de estabilidade na economia.

“O ex-presidente Lula tem que parar de brigar com a história. Se não houvesse o governo do presidente Fernando Henrique, com a estabilidade econômica, com a modernização da economia, não teria sequer havido o governo do presidente Lula”, disse Aécio a jornalistas em Brasília, segundo transcrição divulgada pelo site do PSDB.

“É uma bobagem ele esquecer o que veio antes dele”, acrescentou o tucano, provável candidato do PSDB à Presidência no ano que vem.

O senador criticou também o discurso de Lula durante a cerimônia que celebrou os 10 anos do programa Bolsa Família na quarta-feira, quando o ex-presidente mencionou críticas de oposicionistas ao programa de transferência de renda.

“Acho que é uma demonstração de fragilidade e de grande incoerência querer criar adversários virtuais”, disse. “Escutei o ex-presidente falando que os adversários consideram o Bolsa Família uma esmola. Não sei quem disse isso, não conheço nenhum adversário que disse isso.”

Aécio voltou a afirmar que os programas sociais que deram origem ao Bolsa Família foram criados no governo Fernando Henrique e disse que Lula mostrava desconfiança na capacidade da presidente Dilma Rousseff de conquistar a reeleição no ano que vem.

“O que vejo é um ex-presidente aflito. E digo isso como alguém que tem e sempre teve uma boa relação com ex-presidente Lula. É alguém que não está seguro das condições e das possibilidades da sua candidata”, afirmou.

Segundo a última pesquisa do Ibope sobre a corrida presidencial do ano que vem, Dilma lidera nos quatro cenários pesquisados e sua intenção de voto supera a soma dos adversários em todas as simulações, o que sinaliza vitória dela no primeiro turno, embora ainda seja elevado o percentual de eleitores indecisos e que declaram voto branco ou nulo.

O cenário mais provável da eleição presidencial hoje é de uma disputa entre Dilma, Aécio e Campos. Marina corre por fora para ser a postulante socialista e o ex-governador de São Paulo José Serra pode ser o candidato tucano, travando uma disputa interna com Aécio.

Por Eduardo Simões

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below