Preço de energia para leilão A-1 é elevado para atrair oferta, diz EPE

segunda-feira, 18 de novembro de 2013 15:39 BRST
 

SÃO PAULO, 18 Nov (Reuters) - Os preços-teto de energia estabelecidos para o leilão de energia existente A-1, marcado para 17 de dezembro, estão elevados, segundo o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, com o objetivo de atrair oferta por parte dos geradores de energia.

"As simulações que a gente tem acesso indicam que esse preço é maior que o que se poderia obter no mercado spot (de curto prazo) no ano que vem, então eu acho que vai atrair os investidores", disse Tolmasquim, a jornalistas, após participar do leilão de energia nova A-3, nesta segunda-feira.

Em 2013, diversas tentativas de leilões de energia existente de curto prazo não tiveram oferta por parte dos geradores. Eles consideravam que os preços que poderiam ser praticados nas competições estavam mais baixos e menos atrativos que a venda de energia no mercado de curtíssimo prazo, com base no Preço de Liquidação de Diferenças (PLD), que esteve alto ao longo do ano.

O leilão A-1 de dezembro busca contratar energia para atender ao mercado atendido pelas distribuidoras em três períodos distintos -- de 1 ano, 1 ano e seis meses, e 3 anos. O preço-teto de venda de energia para o produto de 2014 é de 192 reais por megawatt-hora (MWh).

O produto de 2014 a junho de 2015 terá energia com preço inicial de 166 reais por MWh. Já para o período de três anos de suprimento com término em 2016, o preço máximo deve ser de 150 reais por MWh.

No final do ano, terminam mais de 6 mil megawatts (MW) de contratos de energia das distribuidoras.

(Por Anna Flávia Rochas)